A “oposição” já conta com pelo menos 4 nomes

Foto: Alair Ribeiro

O governador tucano José Pedro Gonçalves Taques do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) é naturalmente pré-candidato a reeleição em 2018, dentro do governo do peessedebista não se fala em outra coisa e ninguém ousa em pensar em outro nome.

Embora para muitos a continuidade do PSDB no comando administrativo do Estado nunca esteve tão ameaçada, isso levando em consideração as crises que o país vive e consequentemente o Estado vem enfrentando, ainda com o visível desgaste do governador tucano perante a opinião pública e o número de candidatos na “oposição”.

A “oposição” já conta com pelo menos 4 nomes, e se a eleição fosse hoje, certamente haveria segundo turno no Estado de Mato Grosso. Além do candidato do Democrata, o empresário e ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes Ferreira, já se posicionaram o Senador do Partido da Republica (PR), Wellington Antônio Fagundes, o pré-candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT), que recentemente lançou seu nome para a disputa do Palácio Paiaguas, Otaviano Olavo Pivetta, e outro nome é a do Procurador Mauro Cesar Lara Barros, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

Tudo aponta para uma decisão lógica, o DEM no momento é a melhor opção para, segundo alguns que se dizem…Cientista Políticos. O partido comanda atualmente a câmara dos deputados, é visto como principal aliado do presidente Michel Temer e vem ganhando espaços consideráveis na política nacional. Sem falar que o DEM trabalha com reais possibilidades de lançar candidatos a governador na maioria dos Estados brasileiros.

Após o anuncio de Mauro Mendes como candidato dos Democratas ao Governo do Estado, o tucano José Pedro Taques garantiu que esta eleição não vai deixar por menos, e que se bater, vai levar, vai ter resposta a altura. “È bom, eu acho bom isso, ter vários nomes, estão me batendo todo dia, estou apanhando sozinho, e com mais candidato, o chicote vai virar agora, e vai começar a apanhar junto comigo”.

O governador tucano e pré-candidato a reeleição no dia 7 de outubro, disse que vai estar pronto para a eleição, e que não vai fugir de seus compromissos firmados, não vai fugir dos debates que acontecerão, vai ser mais agressivo, e segundo ele, vai atacar mais se o atacarem. “Me chamaram de incompetente, de inexperiente na politica, fracassado, não ser um bom administrado, mas nós vamos mudar o jogo, mudar o ritmo da campanha, a população vai sentir essa mudança ao longo do tempo e vai ver que eu tenho razão por estar trabalhando dessa forma, dessa maneira”.

O tucano disse ainda que todos estão suscetivos a dura critica de todas as formas quando estão a frente do Executivo. “Quem entra na vida publica tem que saber lidar e entender as criticas e os ataques”.

Pedro Taques lembrou que a decisão do DEM é um direito que cabe unicamente ao partido e que continuará com as amizades que tem na sigla.

A decisão do DEM de definir a construção de candidatura própria ocorreu desta segunda-feira (11) à noite durante reunião da Executiva Estadual do partido. Mendes e o ex-senador Jayme Campos deram sinal verde para que a sigla viabilize as candidaturas de ambos.

O Democratas definiu dar início à construção das candidaturas majoritárias de Mauro Mendes e Jayme Campos. Vamos a partir de hoje buscar construir a viabilidade eleitoral, política, partidária e estrutural dessas candidaturas”, disse o presidente estadual do DEM e deputado federal, Fábio Paulino Garcia, logo após a reunião.