Antonio Wagner: – SINTRACOOP MT, UM GIGANTE DO MOVIMENTO!

              SINTRACOOP MT, UM GIGANTE DO MOVIMENTO!

Por: Antonio Wagner – 

Hoje um capítulo da história recente do sindicalismo de Mato Grosso se escreve de forma madura e inovadora.

No dia 21/04/2018, no Hotel Fazenda Mato Grosso, centenas de trabalhadores celetistas em cooperativas, se reuniram para, na contra-corrente da narrativa recorrente, que tentou jogar o trabalhador contra seus legítimos representantes de classe, o SINTRACOOP MT, mui bem presidido pelo jovem e aguerrido Fábio Viana e, uma Diretoria que é um exemplo de pró-atividade e profissionalismo, deu o tom e o recado do que será novo (new) sindicalismo pós “DEforma” trabalhista.

Enquanto a grande imprensa induzia que que o imposto sindical era “mamata” e, o grande empresariado aliado a forças políticas nefastas e inimigas dos trabalhadores, empurravam goela abaixo a “deforma” trabalhista, achando numa fé cega e torta, que sepultariam de vez o movimento sindical, desejo antigo do patronato, em especial o Sistema Confederativo Sindical, um Sindicato em Mato Grosso, orientado por sua Federação Nacional (FENATRACOOP), surge com uma altivez necessária ao momento.

O SINTRACOOP MT, numa assembleia congressual histórica, com centenas de trabalhadores e trabalhadoras dos mais distantes pontos do estado, por opção do presidente Fábio Viana, seguindo orientação superior de sua federação nacional, aprovaram o FIM do Imposto Sindical. Isso mesmo. A Direção Sindical, decidiu e a categoria acatou, acabar com o polêmico Imposto Sindical.

Para quem não conhece o SINTRACOOP MT, lhes apresento. É um Sindicato com mais de 8 mil trabalhadores na base em Mato Grosso e, junto com outros mais de 10 sindicatos “iguais” (da mesma base) em outros estados, compõem a base da poderosa FENATRACOOP (Federação Nacional dos Trabalhadores Celetistas em Cooperativas), que representa mais de 600 mil trabalhadores em todo país.

Eis aqui um exemplo de sindicalismo raiz, de luta, de rua, que fez da força do agrupamento nacional e do sindicalismo de base e empreendedor, suas marcas inconfundíveis. Nessa lógica de sempre manter a base consciente do seu protagonismo na sustentação do trabalho sindical, que o SINTRACOOP MT, deixou sua categoria à vontade para decidir se o sindicato fecharia suas portas ou se re-fortaleceria com apoio da base, sabedora que, sem sua entidade sindical, NENHUM direito ou benefício existiria.

Ao tempo que se apresentou projetos da envergadura do Turismo do Trabalhador e do Habitrabs, programa de habitacional capitaneado pela Federação e Sindicato, junto ao Conselho Deliberativo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço/FGTS entre outros, a categoria apoiou a extinção da mensalidade filiativa, do imposto sindical e, no seu lugar, aprovaram unanime e ineditamente, a criação da contribuição confederativa sindical, mensal, com valor fixo, descontado de tod@s trabalhadores da base e, redistribuído às entidades de grau superior (Federação, Confederação e Central Sindical), para manter o sistema confederativo ainda vivo, respirando ainda que com aparelhos.

Antes que acusem a entidade e os presentes de imporem nova taxa de custeio, embora extinta qualquer forma de custeio da entidade de defesa coletiva, eis que aprovaram o fim das mensalidades e do imposto sindical, o SINTRACOOP fará 60 dias (2 meses) de campanha de DESFILIAÇÃO. Isso mesmo, o trabalhador terá o direito de, INDIVIDUALMENTE, afirmar e decidir NÃO pagar a contribuição confederativa mensal, mas também, conforme a assembleia congressual aprovara, quem NÃO quiser contribuir, tem esse direito, porém, AUTOMATICAMENTE, renuncia de toda e qualquer conquista oriunda da luta e negociações da entidade e seus contribuintes voluntários.

Nada de benefícios, sejam eles jurídicos, recreativos ou de QUALQUER ordem. Nem mesmo um AUMENTO se estenderia aos que, deliberadamente, assim o decidir, já que o negociado sobrepõe-se ao legislado e, alguém tem de financiar a luta coletiva, que hpa de ser cada vez mais árdua.

Só um Sindicato ciente de que os benefícios da categoria são frutos da autoria de sua seriedade, engajamento e luta, teria a coragem de, diante tamanha representatividade de trabalhadores, centenas deles, propor algo tão ousado e inteligente!

Não bastasse a história que se fez e a nova perspectiva que nasce dessa postura de luta franca e aberta, o SINTRACOOP MT, seu presidente e diretores, fizeram desse redator, além de uma tento e admirado expectador daquela assembleia histórica, alguém muito orgulhoso e honrado. E explico por que.

O Presidente Fabio Viana, sem avisar a Direção da CSB MT, nossa Presidente Diany Dias, eu ou, qualquer diretor, nos honrou colocando a categoria a decidir se o SINTRACOOP MT deveria ou não se filiar a CSB MT.

Surpresos, e honrados, eu e a Diretora de Mobilização da CSB MT, representando no ato a Presidente Estadual da CSB Diany Dias, nos sentimos parte de uma página de esforço que se fez História.

Num momento único e inusitado à CSB MT, satisfeitos com o reconhecimento do nosso trabalho, ao absorvermos um gigante do movimento sindical em nossas fileiras, podemos certamente dizer que também fizemos história neste dia único. Pois com a filiação do SINTRACOOP MT, somamos exatos 50 Sindicatos filiados a CSB MT, sem contar outros mais de 10 sindicatos em processo de registro e regularização junto ao MTE.

Só podemos nos sentir orgulhosos dos frutos que estamos colhendo depois de tanto trabalho e, agradecermos a FENATRACOOP E SINTRACOOP MT pela confiança e dizer, que como eles, somos uma Central de luta, de grupo, sem caciques, de um sindicalismo técnico e empreendedor, que presa pela formação sindical dos seus dirigentes, onde a lealdade aos nossos ideais trabalhistas e aos companheiros, sobrepõem qualquer vaidade pessoal e partidária.

Em nome da CSB MT, damos boas vindas e, humildemente, agradecemos. Obrigado pela confiança em nosso trabalho e nosso grupo sindical.

São tempos difíceis e, o horizonte exige compromisso de classe e UNIÃO!

Antonio Wagner Oliveira, Advogado, Servidor Público da Área Meio e está como Vice-Presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros em MT (CSB/MT) e Membro da Executiva Nacional da CSB, membro fundador do Núcleo pela Auditoria Cidadã da Dívida Pública de MT e atualmente um dos Coordenadores do Fórum Sindical de MT.