Bloco de Fagundes aperta MDB na chapa para federal

Foto: Ednilson Aguiar

A indefinição com a formação das chapas proporcionais em torno das coligações dos partidos continua e não há entendimento para alguns.

Partidos estão incontentes porque alegam que a chapa sugerida pode prejudicá-los. Os partidos participaram de reuniões, mais reuniões, e mais reuniões durante a semana para chegar a uma definição e ainda não foram fechado os blocos.

No mínimo, devem ser formados três, para agrupar todas as siglas. Mais uma reunião acontecerá para que se chegue a um consenso entre as siglas partidárias.

Alguns partidos estão inchados, cheios de nomes de peso, como a do ex-secretário de Politica Agrícola, Neri Geller do Partido Progressista (PP), do empresário Roberto Dorner, do Partido Social Democrático (PSD), assim como a do filho do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, o Emanuelzinho Pinheiro do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) vingarem, alguns nomes já consolidados podem começar a colocar a “barba de molho”, como se diz na gíria popular.

Foto: Rogério Florentino Pereira

Para muitos, os parlamentares estão acomodados, outros já dizem que conseguirão a reeleição com facilidade, mas o que esta faltando realmente é combinar como quem vota, a população mato-grossense.

Dentro do MDB, que é comandado pelo cacique do partido a séculos, Carlos Bezerra, e Valtenir Pereira, que voltou a pouco tempo para a sigla, terão que correr contra o tempo, para não verem suas possibilidades de reeleição naufragarem, como se diz, “morrer na praia”. Pereira que em 2014 foi o menos votado entre os eleitos, ainda pelo PROS com quase 63 mil votos.

Surgem agora a possibilidades de novos “Blocos de Oposição”, como Podemos, Pros, PMN, PRP, Avante, PTC e PSDC, possivelmente poderá vingar com o nome do ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Olavo Pivetta, do Partido Democrático Trabalhista (PDT).

A dificuldade em fechar os blocos segue porque alguns partidos maiores alegam que irão perder voto coligando com partidos pequenos e na outra ponta, alguns partidos menores acham que não elegerão vereadores com as negociações que podem ser firmadas.

Outro arco de aliança que apoia o nome do Senador mato-grossense, Wellington Antônio Fagundes, presidente estadual do Partido da Republica (PR), a governador.

Partidos como o MDB, PRP, PMB, PSD e PTB, já fechou a questão em torno de um “chapão único”, onde cada partido indicará apenas dois nomes para entrar na disputa pela Câmara Federal. O MDB é talvez um dos partidos que já tem cravado seus dois postulantes, os atuais parlamentares Carlos Bezerra e Valtenir Pereira.

Ocorre que se efetivaram os outros “blocos” que estão sendo anunciados, o de reeleição do PSDB, além de outro liderado pelo Democratas, fica um tanto quanto ousado pensar que o “chapão” de apoio a Wellington Fagundes faça mais de três, do total dois oito possíveis eleitos no estado. Carlos Bezerra então terá que, no mínimo, repetir sua votação próxima dos 100 mil para se credenciar bem na disputa, enquanto Valtenir Pereira terá que aumentar consideravelmente seu lastro eleitoral do último pleito.

O “chapão” que ainda contará com outro projeto de reeleição, o de Ezequiel Fonseca, pelo Partido Progressista (PP), que em 2014 teve mais de 90 mil votos, dependerá não só do crescimento da campanha de Wellington Fagundes, como também de nomes que venham a protagonizar na senatoria. Atualmente, o ex-vice-governador, Carlos Henrique Baqueta Fávaro (PSD), apresenta-se como o chamado “primeiro voto” dentre os dois possíveis candidatos a senador em 2018, mas não tem empolgado nem mesmo dentro do grupo político.

Ainda sobre o MDB, importante ressaltar que Emanuelzinho Pinheiro, o filho do atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, apesar de ter decidido sair do partido deve puxar para si muitos votos que no último pleito possivelmente foram destinados a Bezerra e Cia ltda. Por influência do tempo em que esteve na liderança da juventude emedebista ou em virtude da própria relevância partidária do pai, o jovem pode sim “dividir” a base, sobretudo na capital. – (Com Noticias de Mato Grosso).