Nos bastidores articulações políticas visando o pleito 2018, está mais quente do que imaginamos

Apesar dos nossos defeitos precisamos enxergar que somos pérolas unidas no teatro da vida e entender que não existem pessoas de sucesso e pessoas fracassadas. O que existem são pessoas que lutam pelos seus sonhos ou desistem deles.

Em ano eleitoral, não há espelho que melhor reflita a imagem do homem do que suas palavras.

Senão vejamos: o Democrata Jayme Veríssimo de Campos, foi consultado por um tucano para ser o candidato à governador do Estado de Mato Grosso no lugar de José Pedro Gonçalves Taques (PSDB), ou para ser vice-governador na chapa encabeçada pelo tucano, ou até mesmo candidato a Senador da Republica.

Bem como podemos entender estas conversas que ocorreu na última segunda feira (14). Seria um ato de desespero? Seria mais uma jogada para tirar o empresário Mauro Mendes do pleito de 2018?

Nos bastidores os comentários é muito forte em relação à uma possível manobra política do governador Pedro Taques em relação a sua candidatura à reeleição ao Governo do Estado.

Mas sobre a conversa com Jayme Campos? Muito bem o democrata disse ao interlocutor tucano que levaria o assunto ao DEM e que “se fosse o caso do partido se coligar com eles a possibilidade, mas os Democratas querem ter uma candidatura própria“, disse o cacique Democrata Jayme Campos.

Dilema ser ou não ser candidato em 2018

Mauro Mendes diz que é necessário que ele precise analisar com a razão “se dependesse só de emoção, a decisão seria fácil meu coração está decidido“, disse.

Então vamos lá: pesquisas qualitativa e quantitativa irá sinalizar o melhor caminho a ser tomado pelo partido dos Democratas.

Entretanto Mauro Mendes, afirma que o cenário lhe é favorável. “Não sou eu que estou tão bonito assim; o outro lado é que está feio“, disse o empresario.

Nota da redação:

Apesar do intenso suspense, Mauro será candidato (caso Jayme não aceite o convite para o lugar de Taques). Afinal o grande padrinho de Mendes, nada mais do que Blairo Borges Maggi do Partido Progressista (PP).

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Blairo Maggi deverá se envolver mais do que pretende na articulação da campanha de Mendes e na ajuda para sua vitória.

É normal este suspense, uma vez que a campanha política que irá começar na segunda semana de agosto após as convenções que irá ocorrer dia 7 de agosto.

Diferentemente de Zé Pedro Taques é Wellington Fagundes, Senador da Republica e presidente da sigla em Mato Grosso do Partido da Republica (PR). Taques tenta viabilizar a reeleição, o candidato da oposição (leia-se Wellington), que vem percorrendo o interior do Estado de Mato Grosso em busca de votos, de apoios e alianças políticas.

Não tenham dúvidas que Mauro será candidato. O Democrata tem apalavrado com os aliados.

A chapa Majoritária do DEM será: Mendes ao Governo do Estado, Jayme Campos e Adilton Sachetti para o Senado da Republica.

Mauro não vai largar ninguém na mão.

Este tempo é devido ao pedido de recuperação judicial da empresa do Grupo Bitar, que é de conhecimento público.

Mauro Mendes está na Argentina, dia 30 comunica a sigla Democrata, após analisarem a pesquisa e viaja em seguida para a China.