O “cavalo arreado” já está estacionado, só esperando um habilidoso cavalheiro subir e conduzir o animal, ou melhor, o Estado

Assim como o azeite não se mistura com a água, o DEM demostra que não vai se misturar com PSDB, prova disso foi a ausência do governador tucano José Pedro Taques no palanque das comemorações do aniversário de 151 anos de fundação do município de Várzea Grande.

Como a Cidade Industrial é o segundo maior colégio eleitoral do Estado de Mato Grosso, a presença daqueles que se dispõe a concorrer nas próximas eleições em outubro, é praticamente obrigatória neste tipo de evento, que reuniu milhares de pessoas.

O governador Taques não foi, mas enviou alguns mensageiros, como o deputado Wilson Santos (PSDB) que esteve por alguns minutos em conversa de pé de ouvido, com o ex-senador e cacique em Várzea Grande do Democrata Jayme Campos (DEM).

E pelo que tudo indica, a missão dada não foi cumprida, já que Wilson Santos ficou poucos minutos no palanque de autoridades e saiu a francesa.

Informações de bastidores apontam para um mal-estar entre as lideranças do PSDB e DEM, devido a liberação de um recurso, para a conclusão das obras do Ginásio Fiotão, em Várzea Grande.

Neste caso, o governador José Pedro Taques teria afirmado que o recurso já teria sido liberado, que era para a população cobrar da Prefeitura de Várzea Grande. Com uma resposta curta, direta e com indagação, Jayme Campos teria pedido para o chefe do Poder Executivo estadual mostrar em qual conta teria feito a transferência.

Sem compactuar com a informação passada pelo governador Pedro Taques, o mal-estar foi criado, diminuindo ainda mais as chances de uma composição entre os partidos dessas lideranças.

Por outro lado, ainda existe a possibilidade da desistência do governador José Pedro Taques em disputar a reeleição, seja por problemas de enfraquecimento do seu nome, devido aos altos índices de rejeição em pesquisa de consumo interno do seu partido, o PSDB, seja por problemas na Justiça, porque sua gestão possuí vários processos e passa por algumas investigações, desta forma, se afastar e ajudar a eleger uma pessoas de confiança, pode significar paz no futuro.

E faltando apenas 3 meses para campanha eleitoral, o tucano não confirma mesmo se vai ser ou não candidato pelo PSDB a Governo do Estado, Taque tem evitado falar de política, de falar ou confirma seu nome como cabeça de chapa nesta eleição de 7 de outubro para concorrer a eleição ao Palácio Paiaguias. “Eu não decidi se vou pra reeleição ainda”.

E o ex-senador Jayme Campos já esta ate com a língua afiada, nesta terça-feira, no aniversario de 151 anos do município de Várzea Grande, o cacique Democrata chegou ate de dizer em tom sorridente aos amigos e jornalistas que esta pronto e preparado para governar o Estado, e segundo o próprio cacique, tem um histórico politico no Estado que o credencia para ele concorrer ao governo nesta eleição de 7 de outubro.

Bom…Muitos falam em apenas especulações, mas existem fatos que estão dando o direcionamento do cenário político, os afastamentos dos antigos aliados de Taques, a “oposição” criando cada vez mais corpo, a incerteza e demora no posicionamento do empresário Mauro Mendes Ferreira, que também é integrante do Partido Democrata, vão dando características de que o “cavalo arreado” já está estacionado, só esperando um habilidoso cavalheiro subir e conduzir o animal, ou melhor, o Estado.