O inseguro Mendes diz: “Se tivesse com medo estaria com o rabinho entre as pernas”, se referindo a Pedro

Todas as peças nos seus devidos lugares, as siglas partidárias continuam a analisar as próximas jogadas (alianças partidárias). Enquanto isso… do plano B para o plano A: a jogada da semana promete mexer com a classe política do nosso Estado.

Vamos lá: o ex-prefeito de Cuiabá, o empresário Mauro Mendes Ferreira, em entrevista a Radio Capital FM, disse: “Não tem problema, já fui vice em muitos lugares, sempre gosto de contribuir, não teria problema em apoiar outra pessoa. Existem dezenas de pessoas iguais ou melhores a mim“, sim foi isso mesmo que você leitor do Blog do Valdemir acaba de ler, mas o que isso significa? Ficar na mídia de 10 em 10 dias, aproveita e joga para a plateia, dizendo que não se apega ao Poder, se colocando como vice na chapa que será encabeçada por Otaviano Pivetta (que precisa ser maturada para ser considerada seria, no momento é apenas jogo de cena, a candidatura de Piveta).

Enfim mais uma jogada de Mendes, qual motivo? Só ele mesmo para explicar, afinal ele nem precisa de inimigos, seu maior adversário é a sua insegurança.

Enquanto isso…quem pensa que o cacique várzea-grandense Jayme Campos vai levar o DEM novamente para a aliança com o PSDB do governador tucano José Pedro Gonçalves Taques é melhor rever os seus conceitos, trate de melhorar e entender o jogo, o deputado federal Fábio Garcia tem apoio e é ungido pelo presidenciável Rodrigo Maia e, Fabinho não respira sem o aval do seu padrinho político Mauro Mendes.

Enquanto o Democrata decide não decidir, (conforme profetiza o jornalista Edesio do Carmo), se será candidato ao pleito eleitoral 2018, Jayme Campos reza para que Zé Pedro não se viabilize e recua da sua reeleição.

Enquanto isso a candidatura de Dilceu Rossato não decola, Otaviano Pivetta demarca território até Mendes querer ser seu vice, um projeto alternativo ao Governo do Estado nesta eleição de 2018.

Recentemente, o pré-candidato do presidenciável Jair Bolsonaro, do PSL, Dilceu Rossato, ficou furioso com os boatos espalhados por todo o Estado quando foi noticiado de que ele estaria se aliando aos Democratas dos irmãos Jayme e Júlio Campos, e que estaria ele (Rossato), apoiando a candidatura do Democrata indeciso e indefinido Mauro Mendes Ferreira.

Rossato afirmou com todas as letras que é candidatíssimo ao Governo do Estado nesta eleição, e que o palanque para o presidenciável Jair Bolsonaro já esta sendo preparado, com apoio do partido Podemos, do candidato ao senado da Republica, José Medeiros.

Rossato avisa que é candidato ao Governo de Mato Grosso e que não deseja ‘negociar’ com ninguém. E avisou que só assinou o Manifesto contra a reeleição do governador Pedro Taques porque é contrário à manutenção do establishment e não porque vai desistir para apoiar outro candidato. Ou seja, Rossato vai até o fim.

Enquanto nada a se definir ou decidir, o Senador mato-grossense, Wellington Fagundes, presidente do Partido da Republica (PR), o “Welton“, é o único, o seguro, o decidido para enfrentar o tucano Zé Pedro Taques no dia 7 de outubro. Fagundes está formando um grande arco de aliança, conquistando assim, um maior espaço no horário eleitoral gratuito.

Enquanto isso…o inseguro, e indefinido Mauro Mendes Ferreira, nega que esteja adiando para fazer o anúncio da sua candidatura ao governo, por medo de denúncias, ameaças por parte de Zé Pedro. “Não tenho esse tipo de medo, se tivesse estava com rabinho entre as pernas. Vou fazer a minha análise e tomar a minha decisão“.

Mauro aproveitou o seu momento mídia, para avaliar que as pessoas estão dando muita importância a nomes, o que deveriam discutir é proposta. “Temos que falar dos problemas, debate-los e buscar soluções“, então tá senhor das soluções, venha resolver os problemas do nosso Estado.

Enquanto isso…considerado um dos profissionais mais renomados do País, o marqueteiro Duda Mendonça, já foi sondado para atuar na campanha ao Governo do Estado.

Duda foi responsável por duas campanhas históricas de Paulo Maluf para e a de 2002; que elegeu Lula e presidência da República.

Sei não…., mas 15 dias atrás o deputado Wilson Santos (PSDB), disse que Taques venceria o pleito de 2018, porque o que estava precisando eles estavam contratando: “Um marqueteiro experiente e renomado”.