Para a “Oposição”, Taques vai entregar Mato Grosso pior que a gestão Silval

O clima esquentou entre o grupo de “Oposição” e a gestão do governador tucano José Pedro Taques, quando o ex-prefeito de Cuiabá. O empresário Mauro Mendes Ferreira teria afirmado categoricamente que a gestão Taques vai entregar o Governo do Estado de Mato Grosso pior que o ex-governador Silval da Cunha Barbosa.

O vice-governador Silval Barbosa na época tornava-se governador de Mato Grosso em 2006, com a saída de Blairo Borges Maggi, que ocupou o cargo por sete anos e três meses, janeiro de 2003 a março de 2010. Silval assumiu o governo em razão da renúncia de Blairo Maggi, que se candidatou ao Senado Federal.

A comparação teria causado um total mal estar, já que Silval é acusado de ter desviado milhões, uns dizem até bilhões de recursos que foram destinados para as construções da Copa do Mundo de 2014 em Cuiabá.

Os questionamentos que a “Oposição” faz, nada mais é, que o mesmo de boa parte da população, não é de hoje que as pessoas fazem as comparações e questionam, como por exemplo: se Silval roubou tanto, como ele pagava o funcionários no último dia útil do mês? Como pagou RGA? Como não atrasava o repasse para os poderes? Essas e outras indagações são ouvidas a todo momento, em todos os lugares, isso vai desde os funcionários públicos, comerciantes, a muitas pessoas que forma a sociedade mato-grossense.

As notícias da falta de gestão do governador José Pedro Taques do PSDB, não são muito divulgadas, como também, os números de arrecadação do Estado de Mato Grosso, que segundo fontes do próprio governo, supera mês a mês, o orçamento estipulado para o ano.

Em entrevista, em uma emissora de Rádio na capital, o empresário Mauro Mendes Ferreira desafiou o governador José Pedro Taques a apresentar e comparar os balanços das suas gestões.

Eu estou pronto para mostrar o balanço da minha gestão na Prefeitura de Cuiabá, quando eu assumi em 2012 e quando eu entreguei, agora quero ver o governador fazer isso”, disse Mauro Mendes ao reafirmar o que boa parte da “oposição” da gestão Taques diz que “em Mato Grosso não falta recurso, falta gestão”.

Uma comparação mostrando que a gestão do advogado, professor renomado de direito e ex-senador da república, José Pedro Taques é pior que a gestão do ex-garimpeiro Silval Barbosa, que é investigado e foi preso por envolvimento em desvio de recuso público, desqualificou totalmente a gestão Taques, que de salvador da pátria virou persona não grata nas rodas de convívio político.

Outro fator que aguçam as dúvidas populares são as obras, porque muitos afirmam que Taques até o momento está inaugurando apenas obras que foram iniciadas no governo Silval, que na Grande Cuiabá, ou no Vale do Rio Cuiabá, ainda não teria sido apresentada uma obra realizada do projeto até a inauguração da gestão José Pedro Taques.

Estratégia ou não, Mendes ainda não afirmou a sua candidatura, o motivo ao certa a maioria não sabe, mas que o empresário possui uma armadura de titânio, deve possuir, ou algum antídoto, porque é um dos poucos que declarou ser oposição, que não concorda com a atual gestão e faz críticas diretas as ações do governo José Pedro Taques, e ainda não sofreu algum tipo de retaliação.

O que é fato são as lideranças políticas tomando posicionamento aos poucos, a dança das peças do jogo político, mostra a formações de grupos políticos de oposição, uma pulverização dos votos, que tende levar a disputa no mínimo para o segundo turno.

O cenário deverá mudar com o posicionamento de Mauro Mendes, homem que é o preferido do seu partido DEM, que saiu da Prefeitura de Cuiabá com aprovação popular batendo os 70%, e que está discutindo com lideranças política a melhor solução para resolver os problemas do Estado.