Pesquisa aponta afastamento da base aliada da gestão Pedro Taques

O que se percebe nos últimos dias, é a movimentação intensa de vários políticos na tentativa de sobreviver neste jogo de xadrez, que será totalmente diferente dos outros pleitos eleitorais.

O Blog do Valdemir, já havia antecipado para os seus internautas que uma pesquisa agora no mês de março iria nortear a Eleição 2018 no Estado de Mato Grosso.

Assim sendo, vamos aos fatos: no próximo dia 13 de março, a pesquisa interna, que está sendo realizada pelo Instituto Ibope, definirá o que muitos imaginam. A saída de alguns partidos que fazem parte da base aliada do governador Jose Pedro Gonçalves Taques (PSDB).

QUEM AFIRMOU?

Tudo bem. Nenhuma liderança disse abertamente sobre o rompimento com o tucano Zé Pedro Taques, mas precisamos decifrar entrelinhas ou que dizem nas entrevistas concedidas a imprensa ou em seus discursos em reuniões, fórum, seminários, casamentos ou aniversário de amigos.

Nesta segunda-feira (5), no SeminárioInfraestrutura Rodovias em Mato Grosso“, realizado na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT), no auditório deputado Milton Figueiredo, onde passaram por lá: Jayme Veríssimo de Campos (DEM), Wellington Fagundes (PR), Mauro Savi (PSB), Neurilan Fraga (PSD), Oscar Bezerra (PSB) dentre outras autoridades.

E na oportunidade a nossa equipe, o Blog do Valdemir, conversou com alguns deles. O assunto foi…politica…Vamos as palavras de alguns de nossos ilustres participantes do Seminário, onde foram questionados pela nossa equipe de reportagem com relação ao pleito eleitoral de 2018.

Neurilan Fraga do PSD é presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) disse: “A base do nosso partido, e ex-prefeitos defendem o rompimento com o governador Pedro Taques. Vejo o sentimento da população no interior em querer mudança no comando do Estado“.

O Presidente da AMM, Neurilan Fraga articula uma candidatura à Câmara Federal, e temendo, segundo Fraga, que o seu partido seja arrastado para uma coligação com o governador Pedro Taques (PSDB), que é virtual candidato a reeleição, Neurilan admitiu que foi sondado por Wellington Fagundes do PR e Chico Galindo do PTB, mas num gesto de fidelidade partidária espera que o vice-governador Carlos Fávaro, presidente de seu partido, dispute o governo.

No entendimento de Neurilan, caso Fávaro não aceite concorrer ao cargo, o PSD poderá acompanhar Taques independentemente da candidatura de Fávaro a vice repetindo a chapa vitoriosa de 2014 ou não.

Nesse caso, de uma aliança com Taques, ele deixará o partido dentro do prazo legal para mudança de legenda.

Para justificar eventual saída, diz que ao longo de três anos do governo Taques a AMM tem feito enfrentamento à sua forma de tratar as prefeituras e até mesmo de se relacionar institucionalmente com elas.

Jayme Veríssimo de Campos um dos maiores caciques do partido dos Democratas disse: “Faço política em grupo. Faço política com o povo, enquanto alguns fazem sozinho. Uns na piscina tomando banho, comendo churrasco, tomando cerveja. Não estou em ritmo de campanha. Estou preparado para ser Governador ou Senador de Mato Grosso, eu converso com todos, e ninguém ganha eleição sozinho. Sobretudo temos que respeitar os companheiros“.

O cacique Democrata também diz que o DEM é a noiva da vez, e vê com naturalidade e com muita tranquilidade o anuncio do vice-governador Carlos Henrique Baqueta Favaro, presidente estadual do Partido Social Democrático (PSD) em Mato Grosso dizer que vai colocar seu nome a disposição do partido para uma candidatura ao Senado da Republica.

O Democrata disse que o seu partido não é e não será carta fora do baralho nas eleições Majoritárias de 2018.

O Secretario de Assuntos Estratégicos do Município de Várzea Grande, Jayme Veríssimo de Campos, disse também que ate o momento tudo esta indefinido, nada foi resolvido, e muitas conversas ainda estão por aconteceram muitas reuniões ainda vão acontecer, estamos muito mal acostumado em ficar antecipando eleição, resultados de reuniões, antecipando o cenário politico.

Nós não queremos e não vamos colocar o carro na frente dos bois, o nosso partido esta conversando com todos aqueles que queiram compor com o nosso grupo politico, vamos fazer a articulação com tranquilidade, a madurecido, em 2014 o nosso partido compôs com Pedro Taques e o ajudamos a ganhar, agora em 2018, é outro processo politico”.

Para o seu grupo politico, o cacique e ex-governador, e ex-senador, Jayme Campos tem muita experiência na politica, e segundo os mais próximos do cacique Democrata, Jayme vem fazendo articulações importantes nos bastidores para um novo projeto politico para 2018, podendo ate mesmo colocar seu nome a disposição do partido no cargo Majoritário.

Segundo lideranças do PSDB, existe sim uma grande preocupação por parte dos tucanos com relação ao crescimento dos Democratas no Estado com a adesão de vários políticos com mandatos e varias lideranças, e Jayme vem liderando o grupo fortalecido.

Tá bom o recado já foi entregue, ou seja: o DEM, se afastará de Zé Pedro Taques e o candidato do grupo será o Senador e presidente do Partido da Republica em Mato Grosso, Wellington Fagundes.