Segredos, enigmas, sinais, estratégias e mágoas passadas, são as marcas das eleições 2018 em MT

O empresário, e ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes Ferreira (DEM), continua sendo um dos políticos mais enigmático da política mato-grossense. Cotado de todos os lados como um possível candidato ao Governo do Estado nas eleições deste ano, Mauro continua preferindo, sabe-se lá por que, manter segredo se vai ou não disputar uma eleição no dia 7 de outubro.

Entretanto é bom lembrar ao ex-alcaide que na política a regra que prevalece é a de que quanto mais tempo para expor suas ideias, mais chances ele tem de convencer o eleitor que o seu nome é o mais preparado para assumir a cadeira numero 1 do Estado de Mato Grosso.

Aliados mais próximos de Mauro Mendes não conseguem afirmar com certeza se ele vai ou não enfrentar as urnas, e muito menos a que cargo ele pretende concorrer. Porém o Blog do Valdemir, afirma que os sinais e o que Mendes dá são de que vai acabar recuando da vida política mais uma vez, a exemplo do que aconteceu de 2016.

O comunicado de que Mauro Mendes não estaria nas urnas em 2016 pegou de surpresa parte do seu grupo político, que apostava todas as fichas na vitória do PSB, época em que ele estava filiado na sigla. Mendes era o favorito na disputa eleitoral e estava tentando escolher seu vice, entre as indicações dos partidos aliados.

Na época, Mauro Mendes garantiu que seu futuro político estava em aberto, ou seja, não descartava naquela oportunidade a possibilidade de encarar uma nova disputa eleitoral, desta vez, nesta eleição de 2018.

De prima

Nos bastidores, já tem gente preparando uma bolsa de aposta. De 10 em 10 dias, o indeciso, e indefinido Mauro Mendes Ferreira aparece na mídia, adotando discurso duro contra a administração do governador tucano José Pedro Gonçalves Taques, dizendo dos problemas e apontando as soluções e o que teria feito de diferente. Entretanto Mauro evita frequentar as reuniões e eventos partidários do DEM e também não vem demostrando interesse em preparar um sucessor para comandar suas empresas para o caso de ser eleito.

Reaproximação

O governador tucano José Pedro, está reatando o namoro com os Democratas e com isso os comentários nos bastidores é que a possível candidatura do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes ao Palácio Paiaguas, não teria passado de um balão de ensaio.

Se não vejamos: o mais crítico dos Democratas o ex-governador Júlio José de Campos, para se ter uma ideia, sumiu da mídia, não dando nenhuma declaração polêmica nos últimos dias.

É bom ressaltar que a aliança entre o DEM e PSDB, porém, não estão certas, principalmente pela manifestação, publicada pelo Blog do Valdemir da ex-primeira dama de Cuiabá, Virginia Mendes, que negou que ela esteja barrando a candidatura de seu marido, o empresário indeciso e indefinido Mauro Mendes Ferreira, e classificou as declarações neste sentido como “fofoca“. Em texto publicado na sua página no Facebook, Virgínia Mendes deixou claro que acompanhará o marido na decisão que ele tomar nos próximos dias.

Nota da redação

Mas…a demora vem afligindo os caciques e as lideranças dos Democratas, pois essa indefinição e indecisão impede que se inicie as conversações visando um arco de alianças necessário para a disputa ao Governo do Estado.

Enquanto os Democratas esperam, os núcleos do agronegócio estão divididos em três correntes: uma liderada por Otaviano Pivetta, que defende com unhas e dentes a candidatura de Mauro Mendes, mas ultimamente, Pivetta vem sendo apontado como um dos prováveis candidatos ao Governo do Estado pelo PDT, e já confirmado pelo presidente da sigla em Mato Grosso, Zeca Viana, outra corrente encabeçada por Erai Maggi (PP), que quer a reeleição de Zé Pedro Taques: e uma terceira sob os cuidados do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Blairo Borges Maggi (PP), principal incentivador da candidatura do Senador e presidente do Partido da Republica (PR), Wellington Fagundes à disputar a cadeira número 1.

Mais segredo

O cacique Democrata Jayme Veríssimo de Campos, é outro que tem mantido segredo sobre os planos eleitorais. Porém ao contrário de Mendes, o ex-senador só faz mistério quanto ao cargo. Pelos quatro cantos do Estado, Jayme tem afirmado com todas as letras que é “candidatíssimo” e, inclusive, já faz campanha no interior.

A intenção do cacique Democrata é a disputa Majoritária, só resta definir se ao Senado da Republica ou ao Governo do Estado.

O Blog do Valdemir ressalta que no caso de Jayme Campos, o sigilo está sendo mantida por motivos de cautela quanto à relação com o governador Zé Pedro Taques.

Entre os Democratas, Jayme seria o mais propenso a manter uma aliança e teria em troca, até uma sinalização de um eventual recuo de Pedro Taques, abrindo a vaga de candidato a governador, caso o tucano não conseguir reverter a desaprovação popular.