279 dias de governo e não houve, em tese, caso de corrupção no governo Mauro Mendes

O Estado de Mato Grosso passou nos últimos oito anos, graves crises de ordem moral e ética que, causaram grandes prejuízos à sociedade mato-grossense. O Estado também sofreu pela incompetência administrativa que o pujante Mato Grosso a um endividamento “bilionário”.

Os termos possuem origem etimológica distinta. A palavra “ética” vem do Grego “ethos” que significa “modo de ser” ou “caráter”.

Já a palavra “moral” tem origem no termo latino “morales” que significa “relativo aos costumes”.

Ética é um conjunto de conhecimentos extraídos da investigação do comportamento humano ao tentar explicar as regras morais de forma racional, fundamentada, científica e teórica. É uma reflexão sobre a moral.

Moral é o conjunto de regras aplicadas no cotidiano e usadas continuamente por cada cidadão. Essas regras orientam cada indivíduo, norteando as suas ações e os seus julgamentos sobre o que é moral ou imoral, certo ou errado, bom ou mau.

Ao assumir o Governo do Estado, o Democrata Mauro Mendes Ferreira disse que as causas dos problemas de Mato Grosso era a corrupção. Bom…nestes últimos nove meses no comando do Executivo, não houve caso de corrupção dentro da estrutura estadual.

No início de sua administração, nos primeiros dias de sua gestão Mauro Mendes disse:

Esse negócio de político irresponsável e fanfarrão tem que acabar. Somos nós que pagamos a conta da irresponsabilidade de políticos, que formam decisões de levar o que realmente importa“.

Segundo o governador do Partido Democrata (DEM), a ineficiência e a incompetência dos gestores causam prejuízos mais graves aos cofres públicos se comparado à corrupção que acontece no país.

A corrupção fede, tem que ser combatida duramente“, pontuou o chefe do Executivo.

Quando Mauro se refere a ineficiência e incompetência dos gestores, é, um dos viesses diferenciado para combater a corrupção. Um deles é quando se compra mal. Um exemplo que o Blog do Valdemir cita é na área de Saúde.

Se tiver oxigênio para levar o ano inteiro, que o quilo vai custar R$ 900, mas o Estado compra por R$ 1.800, pagando o dobro, porque alguém faz entrega. Não podemos afirmar que a empresa que entregou é corrupta, mas nós do Blog do Valdemir podemos afirmar que, no mínimo existe um problema de “gestão”.

O Blog do Valdemir não está dizendo que há corrupção de atravessadores, mas convenhamos, quando você vai comprar algo para você, passa na loja e compra. Você pode comprar na loja, mas você pode comprar do vizinho, que oferece pelo dobro do preço e entrega. Você vai comprar na loja ou no vizinho? Isso acontece com o Estado também. Esta visão para dentro, de comprar melhor é combate à corrupção.

Mauro afirma que no Brasil, contra o desvio público, contra a corrupção, temos muita gente especializada atuando, se referindo a atuação do Ministério Público Estadual (MPE), Tribunal de Contas do Estado (TCE), e o Judiciário para julgar.

E a estratégia de trazer o Tribunal de Contas e o Ministério Público Estadual, na discussão de projetos polêmicos também é combate a corrupção.

Nota de redação

A corrupção política é dos problemas mais severos e complexos enfrentados por novas e velhas democracias.

No fundamental, ela envolve o abuso do Poder Público para qualquer tipo de benefício privado, inclusive vantagens para partidos de governo em detrimento da sua posição.

Então combater à corrupção, primeiro é ter um governo sério e honesto. O gestor não deve ficar preocupado se vai ser reeleito, se está agradando algum segmento da sociedade, não pode fazer acerto com ninguém. E, sim aplicar recursos, onde precisa ser aplicado.

Isso vem acontecendo, mas muitos ainda não acreditam.

No dia primeiro de janeiro, na posse dos políticos eleitos na eleição de 2018, o atual presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho, disse em seu discurso:

Chegou o momento de colocar em prática um novo tipo de política, alicerçada na ética, na economicidade e no combate a corrupção. Para mim o senhor (Mauro), é o homem certo, no lugar certo, e tenho certeza que terá condições de fazer uma gestão qualificada“, disse Botelho na ocasião.

E o Democrata Mauro Mendes, tá levando à sério o discurso de Botelho e, se continuar alcançando as suas metas, um dia o povo mato-grossense vai acreditar e, Mato Grosso será um Estado modelo para o Brasil.

Mauro pode fazer história. Quem viver vera. Eu espero viver….enfim Mauro pode ser um divisor de água.