Atuação de Wilson em defesa do governo leva Mendes a convida-lo para compor base e ser líder na AL

Alguns lideres tucano são de que a sigla seja um partido de “Oposição” ao governo, seja ele estadual, municipal ou federal. Mas que isso não significa necessariamente votar contra as medidas propostas pelo governo, mas marcar uma posição critica e de fiscalização do Poder Executivo.

Hoje o posicionamento é pelo desembarque dos tucanos não é de “oposição” ao governo Mauro Mendes Ferreira do Partido Democrata (DEM).

O deputado estadual, que sempre foi ferrenho opositor aos governos que não fossem do PSDB, Wilson Pereira dos Santos, que já foi líder do governo Pedro Taques na gestão passada, poderá entrar na embarcação do Democrata (DEM) Mauro Mendes na primeira classe deste governo para ser o líder e representar os interesses do Estado junto a Assembleia Legislativa.

O galinho Wilson Santos, que esta sendo chamado de “Inquisidor”, porque segundo “murmurinhos” nos corredores palacianos, quer queimar todos aqueles sonegadores de impostos do Estado de Mato Grosso.

O galinho também propôs criar CPIs, as mais diversas possíveis, para perseguir os setores econômicos.

No ano de 2019, o parlamentar estadual foi um ferrenho opositor quando do pedido de empréstimo do Governo do Estado junto ao Banco Mundial para quitar a dívida com o Bank of América. O tucano aproveitou para rebater o governador Mauro Mendes (DEM), que o acusou de agir com oportunismo nesse assunto.

Wilson era contra por causa do risco de judicialização da autorização para empréstimo de US$ 332 milhões de dólares junto ao Banco Mundial.

Outra discussão entre o parlamentar e o líder estadual, foi a respeito dos incentivos fiscais do Estado de Mato Grosso. Wilson chegou a dizer que Mauro Mendes tinha nojo de político que mudavam seu posicionamento.

Outras situações também já ocorreram entre os políticos, uma crise envolvendo Wilson Santos e Virginia Mendes na eleição para prefeito de Cuiabá em 2016.

Isso tudo ficou no passado. Não guardo mágoa de ninguém, nem deles nem do Emanuel Pinheiro nem do Chico Galindo, de ninguém. Não faço política com o fígado”.

E durante um almoço no Palácio Paiaguas, o governador Mauro Mendes Ferreira, convidou pessoalmente o galinho para ingressar na base de apoio ao Governo do Estado na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT).

Wilson Santos se declarou surpreso

Eu votei e me posicionei a favor da reforma da previdência por uma questão de coerência e fidelidade ao meu partido. O PSDB é a favor dessa reforma há mais de 25 anos”.

Quem esta dando apoio ao companheiro de partido para que venha para o “outro lado”, é o candidato ao Senado da Republica, Nilson Leitão, considerado um cacique dentro do ninho tucano e disse que apoia o colega de sigla para sair da “oposição” e integrar a sua base de sustentação na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Nilson Leitão, uma das principais lideranças do PSDB em Mato Grosso e que busca viabilizar sua na eleição suplementar para escolher o substituto da Senadora cassada, Selma Arruda (Podemos), no dia 26 de abril.

O partido do PSDB perdeu uma eleição e alguém ganhou. Quando você ganha uma eleição, ele tem duas opções: ou você vai contraditar aquilo que você não acredita ou você apoia aquilo que você acredita. Se ele tomar esta decisão, nós vamos seguir com toda tranquilidade. Nós amamos Mato Grosso e, se for para ajudar Mato Grosso, não tem porque ter rivalidade. Se o governador está fazendo algo que dá para acreditar, obviamente que o PSDB precisa apoiar. Não dá para fazer oposição por fazer. Acabou esse tempo”.

O tucano Carlos Avallone Junior, que ocupou a titularidade no parlamento a partir da eleição de Guilherme Maluf para o Tribunal de Contas do Estado (TCE/MT), já integra a base de Mauro Mendes e é um dos tucanos que torce para o “sim” de Wilson Santos.

Com isso, o governador do Partido Democrata (DEM), já conta com apoio de 16 parlamentares estaduais na Casa de Leis.