Carvalho, um secretário gerenciador de “crise”?

As discussões em torno da política mato-grossense estão cada vez mais acalorados, principalmente por causa das questões, como: Reforma Administrativa, Reforma Previdenciária e controvérsias do Governo do Estado.

Em seu primeiro ano de mandato, o governador do Partido Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira, conquistou passos importantes para que Mato Grosso retome seu equilíbrio financeiro e reencontre o caminho do desenvolvimento.

Os compromissos assumidos durante a campanha estão concretizando, mesmo em meio a “crise econômica” enfrentado pelo Estado.

Entretanto, no início de seu comando a frente do Governo do Estado de Mato Grosso, as relações entre o parlamento e o governador não iam bem, sobretudo por falta de diálogo entre ambos.

Alguns parlamentares reclamavam que Mendes até cronometrava o tempo de falas em reuniões no Palácio Paiaguas. Mas os parlamentares estreitaram os laços com o passar do tempo.

E a grande pergunta que surgiu na cabeça de muitos: quem é o gerenciador da “crise”, quem é o bombeiro de Mauro Mendes no Governo do Estado?

É o secretário chefe da Casa Civil Mauro Carvalho Junior, que ajuda o governo a gerenciar e a integrar todas as funções. Exemplo: avaliar as propostas legislativas que são enviadas pelo chefe do Executivo para o chefe do Poder Legislativo. Mas ainda vem sendo o responsável por cuidar da publicação dos atos oficiais do Governo de Mato Grosso.

Mauro Carvalho, no gerenciamento de “crise”, fez tudo que podia para o governador do Partido Democrata (DEM). Aconselhou o comandante do navio Mauro Mendes sobre as pautas e projetos em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT) e com os servidores na questão do Reajuste Geral Anual (RGA) e recentemente a Reforma da Previdência.

Agora resta saber se a boa vontade de todos os atores políticos e dos servidores públicos continuará até o final do ano.

Afinal Mendes em 2019, adotou medidas impopulares e a sociedade e a Assembleia Legislativa aprovaram.

E sendo a bola da vez, neste segundo ano do Governo, Carvalho pode ser o “saco de pancadas” predileto de colegas do governador Mauro Mendes e líderes políticos de todas as facções governistas enquanto continuar na Casa Civil, nada de extraordinário. Saindo será bombardeado.

Agora resta saber… se a base governista vai se manter coesa em ano eleitoral.

Desafios para Carvalho em 2020

Os desafios serão maiores, começando na eleição suplementar e terminando nas eleições municipais nos 141 municípios em 5 de outubro, no qual o grupo político de Mendes buscará e/ou manter os principais colégios eleitoral e lutará pelo maior, hoje liderado pelo MDB (Cuiabá ).

E, em paralelo a isso, o secretário chefe da Casa Civil terá ter habilidade, para contornar crises políticas no entorno da gestão de Mendes, lidando com denúncias contra alguns dos aliados políticos e para com as limitações financeiras do próprio Estado de Mato Grosso, em esperar para começar a sedimentar a sua candidatura a prefeitura de Cuiabá e a reeleição de Mendes em 2022.

E para finalizar!

Com as ferramentas de gestão e o zelo com os recursos públicos, será possível fazer Mato Grosso, retornar o caminho do desenvolvimento.

É lógico, desde que a grande maioria dos políticos, não ignora.