Com 3 meses de salários em atrasados, Educadores da rede municipal de Santo Antônio entram em greve

Cansados do descaso e da falta de respeito do prefeito, Valdir Castro Filho, o “Valdirzinho”, professores da Rede Municipal de Ensino de Santo Antônio do Leverger em assembleia decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. Eles denunciam que o prefeito não cumpre a Lei do Piso e nem aceita a aprovação de um plano de carreira para a categoria.

A subsede do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) em Santo Antônio de Leverger, cidade localizada cerca de 60 Km da capital Cuiabá, anunciou que estaria entrando em greve na rede municipal por falta de pagamento dos salário dos profissionais da Educação daquele município já a alguns dias.

O protesto que mobilizou as escolas da área central e também de outras localidades que reivindica o pagamento dos salários atrasados. Os profissionais da Educação atravessam uma das maiores crises gerados pela atual administração, que é comandada pelo prefeito Valdir Castro Filho, o “Valdirzinho”.

Segundo Sintep, os profissionais da Educação da zona rural estão com falta de material e também a falta de merenda escolar para os alunos. Ainda conforme o Sintep, as creches do município também vão estar aderindo a greve.

Somado aos salários em atraso, está a desatualização salarial, que já perdura por dois anos, atrasos no repasse de merenda e falta de transporte escolar.

A prefeitura tem negligenciado os servidores públicos das várias categorias e enfrenta denúncias de desvio de recursos dos salários dos profissionais”, relata a presidente da subsede, Claudinete Magalhães.

A política retrógrada do favorecimento político e inchaço da folha fazem parte do currículo da atual administração. Segundo Claudinete Magalhães, a alegação do prefeito é que falta recurso para cumprir as leis da carreira. Sendo assim, o Sintep/MT prepara um estudo financeiro do município para que possa apresentar proposta ao prefeito, e assim assegurar os direitos dos educadores e educadoras.