“Curtinhas e Apimentadas”

NÚMEROS CONFLITANTES

Publicação do jornal Valor Econômico da última quinta-feira, 17, retrata a situação dos Estados que como Mato Grosso decretaram Calamidade Financeira para que os novos governadores, como Mauro Mendes (DEM), pudessem justificar a crise econômica e se socorrer no Tesouro Nacional.

DEVER DE CASA

O problema é que os demais Estados citados, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, os chefes do Poder Executivo, que não foram tão contemplados como Mato Grosso que está recebendo muitos recursos extras, muito mais por conta de senadores e deputados federais, do que por conta do Governo do Estado, todos, mesmo mantendo a previsão de déficit para 2020, reduziram suas dividas, já Mato Grosso aumentou, ou seja, diz que corta despesas, enxuga gastos, avisa que pagou mais de R$ 1 bilhão de dividas da gestão passada, demitiu servidores, não pagou RGA, mas aumentou o déficit.

Por que será?

MAQUIAGEM PURA

Aliás, quando 2019 fechar sua contabilidade o atual ocupante do Palácio Paiaguás vai ter muito o que explicar, ainda mais se comparado com o último governador tucano José Pedro Taques que fechou o ano próximo de R$ 28 bilhões, mas sem FEX, sem empréstimo, sem cessão onerosa do Pré-sal e muitos outros recursos que estão chegando mas pouco se sabe do destino deles.