Decepção, prejuízo milionário e abandono: é mais um presente da gestão Pinheiro, o povo cuiabano fica sem o “Peixe Santo”

Mais uma vez, o Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) tem uma ação para entrar na história do povo cuiabano, após 27 edições do projeto Peixe Santo, a gestão Pinheiro deixa de atender o povo de Cuiabá com toneladas de pescado para venda, neste período de Semana Santa.

PEIXE SANTO

O consumo do pescado aumenta no período da Semana Santa, devido à tradição religiosa da população Católica, que se abstém de carne vermelha. Isto normalmente provoca elevação dos preços do peixe neste período. O projeto Peixe Santo tem o objetivo de evitar essa distorção, para que a população de baixa renda não perca o poder de compra.

Segundo dados históricos, o projeto foi criado e colocado em prática na década de 90, com então prefeito Dante Martins de Oliveira, e executado por Adelson Gil do Amaral.

A intenção do projeto Peixe Santo é oferecer para toda população, peixes de qualidade, com baixo custo, e fomentar a comercialização de peixes criados em viveiros, no início o quilo do pescado já foi comercializado por R$ 2, dando oportunidade até para o menos favorecidos.

O que já tinha tomado conta da cidade, virou modelo e foi copiado por outros municípios de Mato Grosso, este projeto beneficiou vários setores da sociedade, ganha quem compra, como também que produz o peixe, os fornecedores de ração, até os produtores de grãos, ou seja, é uma sequência de ações em volta do Peixe Santo, que beneficia toda sociedade.

Segundo informações do site da Prefeitura de Cuiabá, o cancelamento desta edição ocorreu devido uma recomendação do Ministério Público Estadual (MPE), por outro lado, a notícia tomou conta da cidade como uma triste surpresa.

A decisão do Ministério Público decorre da constatação de inconformidades no cumprimento de exigências de órgãos fiscalizadores, como a falta de documentação obrigatória, e cerca de 80 inscritos chegaram a passar por uma das etapas de capacitação obrigatória para a inscrição no Peixe Santo.

O cancelamento da comercialização do Peixe Santo, além de pegar a população de surpresa, deixou o povo sem opções para comprar o produto, isso sem falar dos produtores que trabalham o ano todo para vender o peixe neste período que antecede a Semana Santa.

O que já teve mais de 100 postos de vendas espalhados por toda cidade, na última edição contou com apenas 30 postos, mesmo assim, a comercialização atingiu 120 toneladas de pescado vendido, com o valor de R$ 12,50 kg, para este ano, do pescado tinha a expectativa de superar a marca de 150 toneladas, somando com os “ingredientes” que acompanham a peixada, o projeto deixou movimentar mais de R$ 2 milhões durante a “Semana Santa” em Cuiabá, que podem virar prejuízos para os produtores e comerciantes.

O ano de 2019 está começando tenebroso para a gestão Emanuel Pinheiro, com o Novo Pronto Socorro sem funcionar, a Santa Casa de Misericórdia com as portas fechadas depois de 201 anos de atendimento ao povo, o aniversário dos 300 anos da capital que foi um fiasco, as prisões dos funcionários da Secretaria de Municipal de Saúde, rejeição partidária, pedidos de cassação, o caso do “paletó” e uma prisão em iminente, são fatores que podem estar tirando a sanidade do prefeito Emanuel Pinheiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *