Deputados encaminham proposta ao governo para encerrar greve dos profissionais da educação

Os deputados estaduais realizaram uma reunião ontem (10), na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT), com o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), onde formalizaram uma proposta, que foi encaminhada via ofício, para o Governo do Estado, com objetivo de encerrar a greve dos profissionais da Educação.

Há mais de 40 dias de greve, os profissionais da educação já tentaram por várias vezes, abrir diálogo com o governo, para o cumprimento da Lei Complementar 510, referente aos 7% de reposição salarial, entre outros benefícios que a categoria está reivindicando.

Desde o princípio desta gestão, depois que foi anunciado o decreto de calamidade financeira, que o imbróglio foi criado, devido o anuncio dos cortes nos reajustes.

Os profissionais da Educação buscaram o cumprimento dos seus direitos, que a reposição salarial, como não foi concedido, e o governo não apresentou uma proposta, os profissionais entraram em greve.

Grevistas aguardam proposta do Governo do Estado

A resposta do Governo do Estado foi considerada intransigente pela categoria, já que de proposta, não foi nada apresentado, apenas o anuncio de cortes dos pontos, daqueles que estão em greve.

Passados os mais de 40 dias de greve, durante esta semana, foi anunciado na imprensa, que o sindicato teria firmado um acordo com o Governo do Estado, para voltar as aulas na próxima segunda-feira, em contrapartida, o governo iria pagar os pontos que foram cortados e não pagos do mês passado.

Durante esta semana, os sindicalistas com representantes da categoria, fizeram manifestações em vários pontos da capital, quando informaram que dirigente do sindicato não decide nada sem o apoio da maioria, e que uma resposta definitiva, de continuidade ou não da greve, só será apresentada, na assembleia geral, realizada no final desta semana.

Alguns deputados como Lúdio Cabral e Valdir Barranco do Partido dos Trabalhadores (PT), falaram que a base de oposição e alguns apoiadores da categoria da Educação, já conversaram sobre a possibilidade de barras os projetos do governo, até que a situação da educação seja resolvido.

Lembrando que o governo do estado tem prazo até o dia 31 de julho de 2019, para resolver a questão do Projeto de Lei da minirreforma tributária, que está embutida em Lei Federal.

Segue a proposta encaminhada via Assembleia:

(Lauro Nazario)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *