Em cinco dias, ações da Energisa caem forte na Bolsa de Valores com “Efeito CPIs”

A Energisa Mato Grosso – Distribuidora De Energia S.A. empresa concessionaria de energia no Estado de Mato Grosso, fechou a semana em queda na Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa ), e estima que o prejuízo ultrapassa à R$ 1 bilhão, em decorrência das CPIs em Mato Grosso, Acre e Rondônia.

Especialistas dizem que a queda nas ações, além das CPIs, são também as diversas ações judiciais, que a empresa sofre ocasionando, a maior baixa desde a sua instalação nesses Estados.

Além do prejuízo em uma semana na Bolsa de Valores, advogados especializados em direito tributário, tem obtido vitórias em tribunais, para derrubar a cobrança sobre as Tarifas de Uso do Sistema de Transmissão (TUST) e de Distribuição (TUSD ).

Segundo o Cientista Político, Alfredo da Mota Menezes, o que realmente esta existindo é uma bronca popular contra a Energisa, por isso a criação da CPI na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. E conforme Menezes, talvez a base dessa bronca esteja no crescente custo da tarifa de energia. Esses aumentos não vão acabar tão cedo. Não está havendo novas fontes de produção de energia e, mais demanda que oferta, a tarifa continuará subindo bem acima da inflação.

Alfredo da Mota Menezes diz ainda que além dessa bronca, a empresa tem sido bombardeada por causa do atendimento inadequado com o usuário. Conforme ele, o Procon, que recebeu milhares de reclamações, publicou uma lista delas.

A CPI

O deputado estadual do PSDB, Carlos Avalone, relator da Comissão Parlamentar de Inquérito, disse que o foco principal são as milhares de denúncias sobre a elevação injustificada, dos valores das contas nos últimos meses. Mas vamos mais fundo, investigando os termos de contratos da concessionária“, pontuou o relator da CPI.

Segundo Carlos Avalone, na próxima quinta-feira terá o início com depoimentos da Superintendente do Procon Estadual, Gisela Simona Viana de Souza.

Até setembro o órgão registrou 4.828 reclamações, sobre fornecimento de energia e outras 4.023, sobre aumentos“, enfatizou o parlamentar tucano.

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT), José Eduardo Botelho (DEM), também usou a tribuna da Casa de Leis para reforçar a importância do trabalho que começa a ser realizado pela CPI da Energisa.

Botelho mais uma vez saiu em defesa do cidadão mato-grossense em relação ao descaso da Concessionária de Serviços Públicos de Fornecimento de Energia Elétrica (Energisa/MT) com os consumidores. Segundo o deputado, a empresa visa apenas lucro.

Peço a CPI da Energisa que faça as reuniões, que comece a funcionar. Pois, é um problema que aflige todos os municípios do estado. As reclamações são generalizadas, tanto do pequeno, do médio ou dos grandes consumidores. As reclamações aqui são abundantes em relação a isso. O número de reclamações no Procon tem aumentado assustadoramente”, afirmou o parlamentar.

Para ele, é inadmissível o descaso que a empresa demonstra ter com o consumidor, inclusive, em relação a atendimento, ao fechamento de agências e à redução de funcionários.

Tudo isso visando só uma coisa: visando lucro, resultado, e o consumidor que se dane porque pra eles [Energisa] interessa simplesmente o lucro!”, criticou Botelho.

E parabenizou o presidente da CPI, deputado Elizeu Nascimento.

Quero agradecer o deputado Elizeu por encabeçar esse trabalho”, conclui.

Comissão de Inquérito

Na primeira reunião da CPI da Energisa, realizada nesta ultima quarta-feira (23), foi eleito relator o deputado Carlos Avallone (PSDB). Já o deputado Thiago Silva (MDB) assumiu o lugar do líder do Governo, deputado Dilmar Dal’ Bosco (DEM), ficando como vice-presidente da CPI.

O Governo do Estado

A preocupação tomou conta pelas bandas do Palácio Paiaguas com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Energisa. Mendes expôs teme que a CPI pode não mostrar a verdadeira realidade e virar somente um “Palanque eleitoral” ou “Politicagem”.

Na sessão ordinária realizada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso, 12 dos parlamentares estaduais que fazem parte da base do Governo do Estado deram apoio a uma indicação do deputado estadual tucano Wilson Pereira dos Santos, que recomenda ao Governo do Estado a redução da alíquota do ICMS na energia elétrica da população. A ideia é reduzir os efeitos do impacto do reajuste de até 300% autorizados nos últimos meses pela Energisa.

O governador Mauro Mendes deixou claro que não pretende reduzir o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a conta de energia, cobrado direto pela Energisa e repassado aos cofres do Estado.

Olha gente, se nós não temos dinheiro hoje, para pagar, arrecadando o que nós temos, todas as nossas despesas, como é que nós vamos diminuir a arrecadação. Será que a AL está disposta a diminuir o duodécimo, para nós diminuirmos receita, temos que diminuir despesa primeiro, se não vai faltar dinheiro para pagar conta”, argumentou.

A politicagem é um termo que existe no Brasil, e se refere aquela política irresponsável, de falas irresponsáveis, que não traduzem a realidade. Quando a CPI é feita com responsabilidade e entrega resultados, eu diria que é extremamente bem-vinda, o que eu desejo sempre, não só na CPI, é que a nossa política seja pautada pela responsabilidade, pela seriedade, e que nós possamos entregar resultado a população”, explanou o governador.