Em Mato Grosso, carros com gás natural poderão ser isentos de IPVA

Você fica deprimido cada vez que tem que abastecer, imaginando como é horrível pagar uma grana preta pela gasolina, sendo que 45 por cento são tributos?

Sabe que na sua gasolina tem até 27% de etanol e dependendo do posto é possível que tenha uma porcentagem de água mas paga como se fosse uma super hiper mega gasolina aditiva?

Sabia que o Brasil tem uma das gasolinas mais caras do mundo, fruto dos alto valor dos impostos e por existir um monopólio (Petrobrás) controlada pelo governo nada corrupto?

Bem vindo ao Brasil! E sim, o GNV (gás natural veicular) pode ser a sua salvação como alternativa em busca de economia.

O Governo do Estado de Mato Grosso assinou no dia 25 deste mês, o contrato que assegura o fornecimento firme de gás natural da Bolívia para Mato Grosso. A formalização garante a entrega de 1,5 milhão de metros cúbicos (m³) do combustível ao mês a partir de de outubro.

O contrato foi pactuado entre a Companhia Mato-grossense de Gás (MT Gás) e a estatal boliviana Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB).

Pelo planejamento, a ideia é que em curto prazo seja criada uma sociedade entre as estatais para expandir a cadeia do gás natural. O gás deve atender a indústria e veículos movidos ao combustível.

De autoria do deputado estadual Wilson Pereira dos Santos (PSDB), esta sendo discutido na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, um Projeto de Lei (PL 1040/2019), que os veículos de Mato Grosso abastecidos com gás natural poderão ser isentos da cobrança do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

O parlamentar cita, na defesa da matéria, a contribuição ao meio ambiente dos veículos com gás natural.

Propomos a isenção de IPVA para veículos movidos a GNV, que será compensada com o aumento de receita proveniente de maior utilização da fonte de energia”.

Em um dos trechos do Projeto de Lei, (PL 1040/2019) , Wilson destaca que a isenção seria uma forma de estimular a aquisição de veículos desta natureza, ao mesmo tempo em que visa contribuir com a preservação do meio ambiente, uma vez que se trata de combustível com baixa emissão de poluentes comparado ao tradicional álcool e gasolina comercializados em postos de combustíveis.

Para o meio ambiente, o GNV reduz em 15% a emissão de dióxido de carbono, quando comparado ao etanol, e em 20%, quando comparado à gasolina. Sua distribuição se realiza por gasodutos, sem a utilização de caminhões de combustível. Por apresentar grande economia, é considerado um combustível popular, em especial a profissionais que utilizam veículo como ferramenta de trabalho”.

Eís a grande dúvida: vale a pena GNV (gás natural veicular)?

A resposta é obvia, clara e objetiva, “vale a pena”, desde que observe os seguintes pontos:

– Você rode muito com o carro ou seja, carro é sua ferramenta de trabalho ou necessite fazer grandes deslocamentos diários;
– O motor não seja 1.0 porque com o GNV vai ter perda de potência, ainda que esteja instalado o kit mais moderno, de 5ª geração;
– Tenha um carro que não seja hatch, pois irá perder consideravelmente o espaço no porta malas dependente do tamanho do cilindro, se for solteiro e não precisar, desconsidere;
– Esteja ciente que na hora da revenda, irá ter uma desvalorização mais acentuada, pois há um preconceito em veículos com kit GNV.