Entre a “Cruz e a Espada”: Qual o papel de Allan Kardec, Judas ou Pedro, o pescador

Recentemente aconteceu uma Audiência Pública para debater a implantação da política de Cota Zero do pescado nos rios de Mato Grosso foi acalorada. O auditório da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT) esteve lotado de opositores ao Projeto de Lei “Cota Zero que prevê a proibição do transporte, do abate e do comércio dos peixes por um período de cinco anos a partir de 2020.

A audiência serviu como um termômetro para indicar o quanto os entusiastas da medida protecionista terão que negociar. A chamada Cota Zero tem sido uma tendência em diversos estados brasileiros, seja abrangendo todos os peixes, seja se referindo a apenas uma espécie.

O Governo do Estado, até o momento não apresentou um estudo do impacto que o desemprego vai gerar com o Projeto da “Cota Zero. Estimasse que hoje, são cerca de 7 mil pescadores profissionais só no Vale do Rio Cuiabá, podendo ultrapassar a marca dos 10 mil pescadores profissionais em Mato Grosso, que ficarão desempregados caso a o Projeto seja aprovado.

O Projeto “Cota Zero desde o princípio gerou muita polêmica, em caso de aprovado vai atingir desde os pescadores profissionais, passando pelos amadores, os comerciantes de iscas, os comerciantes de equipamentos de pesca, vendedores de barco, donos de pousadas, hotéis, até os mais simples proprietários de tablados sofreram com a aprovação deste projeto.

O Projeto de Lei nº 668/2019 (Mensagem nº 107/2019), proposta pelo Poder Executivo, que proíbe, em seu artigo 18, a comercialização e o transporte de pesca amadora por cinco anos em Mato Grosso a partir do ano de 2020.

Chamado de Cota Zero, o Projeto trata da Política Estadual de Desenvolvimento Sustentável da Pesca e regulamenta as atividades pesqueiras e está em tramitação na Assembleia Legislativa. Além de reforçar a proibição durante a Piracema e com itens como explosivos, ceva fixa, substâncias tóxicas e outros métodos depredatórios, o PL 668/2019 traz mudanças como a proibição de que pescadores amadores, desde que registrados e com carteira de pescador levem peixes para casa, podendo apenas praticar a modalidade “pesque e solte“.

São milhões de reais que a pesca movimenta por mês e deixará de atender o setor”.

Ironia do destino ou não, coincidentemente o secretário de Estado de Cultura, Esportes e Lazer (SECEL/MT), Allan Kardec Pinto Acosta Benitez, o “Allan Kardec” é de uma família tradicional da cidade de Santo Antônio de Leverger, um dos principais pontos turístico de pesca conhecido do Estado, até do Brasil.

Segundo informações do município, o secretário Allan Kardec que cresceu se banhando nas águas do Rio Cuiabá e se esbanjando de comer peixe de rio, decepcionou toda população ribeirinha, ao usar sua rede social, fazendo um discurso a favor do Projeto “Cota Zero.

Cota Zero já existe, são cinco quilos que pode pescar, o que não pode é transportar”, disse o secretário em sua fala.

Essa e outras falas deixaram o povo de Santo Antônio de Leverger revoltados, hoje o secretário Allan Kardec é apontado um traidor do povo, dos pescadores, dos comerciantes, das pessoas que votaram nele e no pai dele, vereador Ugo Padilha, que vive nas festas de santos em Leverger, comendo peixe de rio, pescado pelos ribeirinhos.

Hoje, sendo favor do Projeto “Cota Zero, Allan Kardec confirma a traição do seu povo, assim como Judas e Pedro traíram Jesus, resta saber qual destino, Allan Kardec vai escolher, o caminho da covardia de Judas, que suicidou, ou de Pedro, que se arrependeu da traição e se tornou a pedra fundamental da criação da Igreja Católica.

População utiliza das redes sociais para rechaçar postura do secretário Allan Kardec”.

O secretário e deputado estadual tem uma escolha difícil, se insistir no papel de Judas, vai manter sua posição a favor do Projeto “Cota Zero, se mantendo como secretário e traindo milhares de profissionais, pais de família, pescadores profissionais e amadores, amigos, conhecidos e parentes de Santo Antônio de Leverger.

Se decidir em defender seu povo, escolhendo o caminho de Pedro, o pescador, Allan Kardec vai contra o Projeto “Cota Zero, salvando milhares de empregos, apresentando estudo e proposta que venha atender verdadeiramente as pessoas que vivem do mercado da pesca, enchendo seu povo de orgulho e satisfação, mas se isso acontecer, é claro que o todo poderoso governador não vai aceitar se contrariado, assim Allan Kardec terá que entregar o cargo na secretaria e voltar para Assembleia Legislativa.

Se escolher o caminho de Judas, vai trair o povo de Leverger, Barão de Melgaço, Cáceres, Poconé, Acorizal, Rosário Oeste e todas a cidades de Mato Grosso, que tem o mercado da pesca, sem falar que estará jogando a candidatura do seu grupo em 2020 no lixo”.

Assim, Allan Kardec que tem a sua “ceva eleitoral” em Santo Antônio de Leverger, está entre a Cruz e a Espada, ou melhor a “Cruz e a Vara de Pescar”, defende o direito do seu povo, ou os seus interesses particulares. – (Lauro Nazário)