José Riva: “Durante 20 anos, 38 deputados estaduais e ex-deputados receberam propina”

O pagamento de propina a 38 deputados estaduais e ex-deputados durante 20 anos, esta incendiando a política do Estado de Mato Grosso após o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT), José Geraldo Riva, ter encaminhado ao junto Ministério Público Estadual (MPE) proposta de delação premiada.

E conforme o ex-parlamentar estadual, José Geraldo Riva, que já foi presidente do Poder Legislativa Estadual durante tanto tempo, disse que R$ 175 milhões de reais saíram dos cofres da Casa de Leis para serem repassados aos 38 ex-parlamentares e parlamentares como propina, conforme consta na proposta de delação premiada junto ao Ministério Publico Estadual (MPE).

José Geraldo Riva sempre esteve a frente da liderança da Casa de Leis como presidente ou como secretario da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT) ao longo dos anos que trabalhou como parlamentar estadual.

Poço de corrupção

Segundo o ex-presidente da Casa de Leis, os anos de 1997 a 2015, foi um verdadeiro “poço de corrupção”, por causa da eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, e teve que repassar cerca de R$ 38 milhões em propinas milionárias para a compra do apoio dos parlamentares, os únicos eleitores da Mesa Diretora da época, conforme consta na proposta de colaboração premiada de José Geraldo Riva, que foi assinada em março de 2019.

Esta proposta colaboração premiada foi encaminhada para à procuradora de justiça Ana Cristina Bardusco. Ela esta à frente do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

Mesa Diretoria foi “irrigada”

Ainda conforme o ex-deputado, quem estivesse no cargo ou no comando da Casa de Leis, sempre tinha o controle da Pauta do Poder Legislativo de Mato Grosso o controle político e econômico em nível de Estado.

Passaram pelo Palácio Paiaguás os ex-governadores Dante Martins de Oliveira, que faleceu em 2006, Rogério Salles, Blairo Borges Maggi, Silval da Cunha Barbosa, e José Pedro Gonçalves Taques, que assumiu no dia de janeiro de 2015.

Os pagamentos

Na Legislatura da Assembleia Legislativa do Estado de 1995, R$ 15 mil reais eram repassados mensalmente aos parlamentares da base.

Conforme José Geraldo Riva, durante a Legislatura 1997-1999, para a eleição daquele ano gastou R$ 2 milhões para a compra dos votos dos parlamentares, que teriam recebido entre R$ 150 mil e R$ 200 mil. José Riva foi eleito presidente e Romoaldo Júnior o secretário.

Na Legislatura de 1998 e 2002, subiu para R$ 20 mil e R$ 25 mil. Os períodos eram nas gestões do ex-governador Dante de Oliveira e Rogério Salles.

Conforme Riva, ano de 2013 e 2015 foi o que mais “rendeu” aos deputados estaduais, mais de R$ 10 milhões foram gastos para a compra da eleição da Mesa Diretora, e cada deputado recebeu segundo José Riva, de R$ 400 mil e R$ 800 mil. Riva ficou como presidente e o deputado estadual Mauro Luiz Savi como secretário.

No ano de 2003, do então governador da época, Blairo Borges Maggi, José Riva disse que Poder Executivo repassava os valores por meio de um “incremento” no orçamento do Poder Executivo, e com isso a divisão do repasse ficou para os deputados estaduais dividirem entre eles. Já no final do governo Maggi em 2010, os pagamentos para os deputados variavam entre R$ 30 mil e R$ 35 mil.

Já na gestão do governo Silval Barbosa, a propina mensal teria subido para R$ 50 mil de acordo com José Riva.

Veja detalhes da lista para a eleição da Mesa Diretora entre os anos de 1997 e 2015.

MESA DIRETORA – 1997/1999
Presidente eleito: José Geraldo Riva
1º secretario eleito: Romoaldo Júnior
Gastos da Mesa Diretora: R$ 2 milhões
Valor recebido por cada parlamentar: de R$ 150 mil a R$ 200 mil.

Os deputados beneficiados na época foram: Paulo Moura, Amador Tut, Manoel do Presidente (Manoel Ferreira de Andrade), Eliene Lima, Jorge Abreu, Ricarte de Freitas, Emanuel Pinheiro, Dito Pinto, Zilda Pereira Leite, Moisés Feltrin e Nico Baracat.

MESA DIRETORA – 1999/2001
Presidente eleito: José Geraldo Riva
1º secretario eleito: Humberto Melo Bosaipo
Gastos da Mesa Diretora: R$ 3 milhões
Valor recebido por cada parlamentar: de R$ 200 mil a R$ 250 mil

Os deputados beneficiados na época foram: Eliene Lima, Pedro Satélite, José Carlos de Freitas, Nico Baracat, Joaquin Sucena Rasga, Amador Tut, Emanuel Pinheiro, Gonçalo Domingos de Campos Neto, Dito Pinto, Alencar Soares e Carlão Nascimento.

MESA DIRETORA – 2001/2003
Presidente eleito: Humberto Melo Bosaipo
1º secretario eleito: José Geraldo Riva
Gastos da Mesa Diretora: R$ 3 milhões
Valor recebido por cada parlamentar: de R$ 200 mil a R$ 250 mil

Os deputados beneficiados na época foram: Eliene Lima, Pedro Satélite, José Carlos de Freitas, Nico Baracat, Joaquin Sucena, Amador Tut, Emanuel Pinheiro, Campos Neto, Dito Pinto, Carlos Carlão Nascimento e Alencar Soares.

MESA DIRETORA – 2003/2005
Presidente eleito: José Geraldo Riva
1º secretario eleito: Silval da Cunha Barbosa
Gastos da Mesa Diretora: R$ 3 milhões
Valor recebido por cada parlamentar: de R$ 200 mil a R$ 250 mil

Os deputados beneficiados na época foram: Alencar Soares, Carlão Nascimento, Dilceu Dal’Bosco, Pedro Satélite, Nataniel de Jesus, Campos Neto, Joaquim Sucena, João Malheiros, Eliene Lima, José Carlos de Freitas, Sebastião Rezende, Sérgio Ricardo e Mauro Savi.

MESA DIRETORA – 2005/2007
Presidente eleito: Silval da Cunha Barbosa
1º secretario eleito: José Geraldo Riva
Gastos da Mesa Diretora: R$ 4 milhões
Valor recebido por cada parlamentar: R$ 250 mil

Os deputados beneficiados na época foram: Alencar Soares, Carlão Nascimento, Dilceu Dal’Bosco, Pedro Satélite, Nataniel de Jesus, Campos Neto, Joaquim Sucena, João Malheiros, Eliene Lima, Mauro Savi, Sergio Ricardo, José Carlos de Freitas e Sebastião Rezende

MESA DIRETORA – 2007/2009
Presidente eleito: Sérgio Ricardo de Almeida
1º secretario eleito: José Geraldo Riva
Gastos da Mesa Diretora: R$ 4 milhões
Valor recebido por cada parlamentar: R$ 250 mil

Os deputados beneficiados na época foram: Dilceu Dal’Bosco, Walter Rabelo, João Malheiros, Chica Nunes, Ademir Brunetto, Guilherme Maluf, Adalto de Freitas, Humberto Bosaipo, José Domingos Fraga, Wallace Guimarães, Mauro Savi, Sebastião Rezende, Airton Português, Campos Neto e Chico Galindo.

MESA DIRETORA – 2009/2011
Presidente eleito: José Geraldo Riva
1º secretario eleito: Sérgio Ricardo de Almeida
Gastos da Mesa Diretora: R$ 4 milhões
Valor recebido por cada parlamentar: R$ 300 mil e R$ 350 mil

Os deputados beneficiados na época foram: Guilherme Maluf, Chica Nunes, Adalto de Freitas, Dilceu Dal’Bosco, Wagner Ramos, Zé Domingos Fraga, Wallace Guimarães, João Malheiros, Mauro Savi, Sebastião Rezende, Ademir Brunetto, e Chico Galindo.

MESA DIRETORA – 2011/2013
Presidente eleito: José Geraldo Riva
1º secretario eleito: Sérgio Ricardo de Almeida
Gastos da Mesa Diretora: R$ 5 milhões
Valor recebido por cada parlamentar: R$ 400 mil

Os deputados beneficiados na época foram: Ezequiel Fonseca, João Malheiros, Sebastião Rezende, Wagner Ramos, Baiano Filho, Nilson Santos, Wallace Guimarães, Walter Rabello, Dilmar Dal’Bosco, Zé Domingos Fraga, Guilherme Maluf e Ademir Brunetto.

MESA DIRETORA – 2013/2015
Presidente eleito: José Geraldo Riva
1º secretario eleito: Mauro Luiz Savi
Gastos da Mesa Diretora: R$ 10 milhões

Valor recebido por cada parlamentar: R$ 800 mil aos deputados Ezequiel Fonseca, Ademir Brunetto, Guilherme Maluf, Wagner Ramos, Wallace, Guimarães, Walter Rabello. Zé Domingos Fraga e Antônio Azambuja) e de R$ 400 mil e R$ 500 mil a Sebastião Rezende, Baiano Filho, Nilson Santos, Airton Poruguês, Luiz Marinho, João Malheiros e Dilmar Dal’Bosco.