Ludio Cabral diz estar fora do páreo, e defende uma “Frente Centro-esquerda”

Com a chegada do último quadrimestre de 2019, os partidos políticos no país começam a se preparar para as eleições de 2020. O MDB já iniciou seus preparativos para o pleito que se aproxima.

Com a quase confirmação da candidatura do atual Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), a legenda já pensa em nomes que possam concorrer a uma vaga no Legislativo. Algumas pessoas com influência dentro das comunidades cuiabanas já estão na ponta da língua e dadas como “quase certo” para a disputa.

O Partido dos Trabalhadores (PT) realizou eleições internas recentemente e teve como grande vencedor, o militante Elisvaldo Almeida, conhecido como “Bob”, é novo presidente do Diretório do PT de Cuiabá. No segundo turno do Processo de Eleição Direta (PED) realizado, Bob derrotou o jornalista Volney Albano, que tentava a reeleição à presidência do partido na Capital. O mandato é de quatro anos e se inicia em janeiro de 2020.

Bob contou que o partido aguarda a finalização de algumas situações como as eleições suplementares e o Congresso Estadual e Nacional do PT. Após o término dos eventos, a legenda continuará com as definições para as eleições do ano que vem.

Bob Almeida, que trabalha no gabinete do deputado estadual Lúdio Cabral, obteve 519 votos. Já Volney Albano, que assessora a deputada federal Rosa Neide e foi apoiado pelo deputado estadual Valdir Barranco, todos da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), conhecida como “campo majoritário”, obteve 323 votos.

Sobre as eleições para o próximo ano, continuam as discussões dentro da legende de quem será o nome que vai representar o Partido dos Trabalhadores em 2020 em possível disputa eleitoral contra o Prefeito de Capital, Emanuel Pinheiro do MDB.

Convicto de que a construção de uma “frente” de partidos de Centro-esquerda é a melhor alternativa para disputar a Prefeitura de Cuiabá, o deputado estadual Lùdio Cabral, lista como pode ser formada esta coligação e quais os prováveis nomes para as eleições municipais majoritárias, em 2020.

Nesta ultima quinta-feira (03), Ludio Cabral foi o entrevistado do jornalista Antero Paes de Barros, no Jornal da Capital, e reafirmou que está fora de uma disputa eleitoral em 2020, e que vai se dedicar aos quatro anos de mandato na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT).

O parlamentar acredita que 5 partidos como o PCdoB, PDT, PSB, Psol e Pros, estejam juntos com o Partido dos Trabalhadores em uma coligação.

Nesta frente, cada partido vai ter autonomia para construir suas candidaturas. O PT tem bons nomes como a professora Edna Sampaio, a própria Rosa Neide (deputada federal) pode nos representar na prefeitura. Há outros nomes que não disputaram eleição e podem surgir como alternativa para o partido. Entre eles, professores da Universidade Federal de Mato Grosso com militância muito qualificada e que poderiam fazer um debate qualificado. Como por exemplo, a professora aposentada, Vera Bertolini, que militou na área do serviço social”.

Quanto ao Psol já há divergências postas publicamente. O Procurador Mauro Cesar, principal liderança da sigla em Mato Grosso, afirmou que ele e seu grupo vão lutar com todas as suas forças para que o partido não se alie ao PT. Em recente entrevista o Procurador Mauro acusou o PT de corrupto.

Ludio Cabral também apontou que os demais partidos também têm nomes com potencial para disputar a Prefeitura da Capital.

O PCdoB tem a professora Maria Lúcia que foi reitora da UFMT e candidata ao Senado, em 2018. O PDT tem o ex-juiz federal Julier Sebastião e o presidente do diretório municipal, Fabrício Carvalho. O Pros, tem a suplente de deputada federal Gisela Simona”.

Além de alinhados ideologicamente, Lúdio ressaltou que esses partidos não fazem parte nem do grupo do atual prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro e nem do governador Mauro Mendes do DEM.

Esses partidos têm condições de apresentar uma candidatura alternativa e, principalmente, um projeto que vai fazer um debate do que o melhor para a população da cidade”.

Em sua avaliação, o parlamentar estadual Ludio Cabral disse que a chapa de vereadores é uma grande preocupação para os petistas que hoje não têm hoje nenhum representante no parlamento municipal.

O PT vai trabalhar para ter uma chapa de vereadores porque não ter um representante na Capital é muito ruim. O partido que tem a maior bancada na Câmara de Deputados e não tem vereador na Câmara de Cuiabá e ter mandato na cidade é importante pra voz do partido e para a defesa da população”.

Segundo Ludio Cabral, o foco do partido é montar uma chapa qualificada de candidatos a vereador.

Há uma lista com pelo menos 23 pré-candidatos a vereador bem distribuídos na cidade”.

Em Cuiabá está difícil apontar qual a missão mais impossível: juntar Emanuel Pinheiro e Mauro Mendes ou o Psol com o PT.

Neste momento cabe ao presidente do diretório municipal, Elisvaldo Almeida, o Bob, que é ligado a Lúdio Cabral, comandar a construção da chapa para uma disputa em 2020. – (Com PNBOnline)