Mato-grossenses pagaram quase 30 bilhões em impostos

Os cofres públicos do Estado de Mato Grosso arrecadaram cerca de R$ 29.955 bilhões de 1º de janeiro a 22 de novembro de 2019 por volta das 13h30, segundo o Impostômetro da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio-MT).

Proporcionalmente, é o cidadão com renda menor que paga mais. O Brasil é o país com a maior carga tributária em impostos invisíveis pagos na ponta do consumo. No Brasil, os impostos sobre o consumo equivalem a 70% da arrecadação. O Brasil é o país com maior número de taxas e contribuições.

O brasileiro que toma um cafezinho na padaria paga 16,5% de imposto sobre o pó de café, mais 30,6% sobre o açúcar, sem falar nos 37,8% de taxas que incidem na água. Muita gente nem se dá conta, mas o país vive sob uma montanha de impostos.

O Brasil é o país com a maior quantidade de taxas e impostos diferentes do mundo. É difícil explicar esse sistema tributário a uma empresa estrangeira que quer se instalar no país. Fazemos um guia de impostos, mas ele dura em média dois anos porque as coisas mudam sempre“.

Há países com carga tributária ainda maior do que a brasileira, de 35,42% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo cálculo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), mas a diferença é que o retorno em bem- estar a seus cidadãos é muito superior ao oferecido no Brasil. De cada R$ 10 produzidos pelo país, R$ 3,50 são recolhidos em forma de impostos aos cofres da União, dos governos estaduais e municipais. Se a CPMF for aprovada, com alíquota de 0,2% passar, o valor subirá para R$ 3,60. Segundo especialistas, cargas tributárias de 30% do PIB são preocupantes e acima de 35% são indesejáveis porque travam o crescimento da economia.

O Impostômetro mostra

No ano passado no mesmo período, Mato Grosso havia arrecadado aproximadamente R$ 28.283 bilhões, ou seja, em 2019 houve um aumento na arrecadação de R$ 1.672 bilhão.

Já no Brasil, o Impostômetro revela que os brasileiros desde o primeiro dia do ano até nesta sexta-feira (22), pagaram em média R$ 22.210 trilhões em impostos. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o aumento é de R$ 102 bilhões aos cofres públicos.

O valor pago ao Governo Federal, Estadual e Municipal custa aos contribuintes 33%, em média, de impostos sobre tudo o que é consumido, além do cálculo em monetário, o cidadão deve trabalhar cerca de 153 dias ao ano somente para estar quite com o fisco, de acordo com pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

O Impostômetro considera todos os valores arrecadados pelas três esferas de governo a título de tributos: impostos, taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e correção monetária.