Médicos decidem ficar em “estado de assembleia permanente” até reunião com Emanuel Pinheiro

Em dezembro de 2019, o Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed/MT) recebeu várias denuncias de médicos e profissionais de saúde de que a prefeitura de Cuiabá pagou somente parte do 13º salário anunciado.

O diretor de comunicação do Sindimed, Adeildo Martins Lucena Filho, recebeu denuncias de que plantões extras feitas por colegas médicos cobrindo férias ou por motivo de doença de outros médicos estavam há 06 meses sem receber e também o adicional dos plantões de fim de semana e feriados não estão sendo pagos há 03 meses por isso há tanto furos nas escalas de UPAs e Policlínicas.

A Secretaria de Saúde do Município chegou de ser procurada para informar o motivo do pagamento parcial, mas não houve nenhuma explicação.

Evelyn Hack Bidigaray, presidente do Sindimed disse que a rede SUS em Cuiabá está sem condições de atendimento em algumas áreas por falta de médicos especialistas. A pediatria é hoje a mais afetada, com intermitência na escala diária da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do pronto-socorro, no antigo prédio, mesmo com dez leitos abertos para pacientes. Vale lembrar que o hospital está em processo de mudança para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).

Luiz Antônio Pôssas de Carvalho, secretário municipal de Saúde de Cuiabá, informou que o município estaria rigorosamente em dia com os médicos da capital. E que, inclusive, teria sido quitado, integralmente, o 13º salário dos profissionais de Saúde. Assim, caso a categoria opte pela paralisação das atividades, como já sinalizaram com indicativo de greve, ele estaria pronto para enfrenta-la.

Após a Assembleia Geral, os médicos decidiram por unanimidade que vão ficar em estado de assembleia permanente até acontecer a reunião com o prefeito Emanuel Pinheiro que após anúncio de uma possível greve, entrou em contato com o Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed) e finalmente se dispôs a receber a diretoria do Sindicato.

Tem praticamente 01 ano que o sindicato está pedindo por ofício para que o prefeito ou o secretário de Saúde recebesse a diretoria para discutir assuntos como falta de condições de trabalho, falta de medicamentos e falta de médicos nas unidades de saúde nos plantões. E nunca éramos recebido. Não temos interesses políticos só queremos que os assuntos da saúde de Cuiabá sejam resolvidos. Sabemos que a prefeitura está investindo em estrutura física, mas sem pessoal e sem condições de trabalho como medicamentos a saúde não melhora“, comenta o diretor de comunicação do Sindimed Dr. Adeildo Lucena.

Para o Sindimed um dos objetivos da Assembleia foi atendido parcialmente, visto que os profissionais que não haviam recebido o 13º salário, a prefeitura pagou e ainda abriu um diálogo com o Sindicato, que era requisitado há mais de 01 ano, mas ainda a falta discutir as condições de trabalho e acordos descumpridos.

Aguardamos que essa seja o início das negociações com a prefeitura. O Sindimed não vai deixar de atuar em defesa dos médicos“, finaliza Adeildo.

A reunião foi marcada para esta sexta-feira (10) às 15h na Prefeitura de Cuiabá.