Mendes e Jayme sinalizam apoio a Pivetta na eleição suplementar

Já estamos na segunda semana do ano. E com a chegada de 2020, muitas famílias mato-grossense e lógico nossos políticos, que curtiram o final do ano nas praias e resorts ou mesmo no interior de Mato Grosso, já estão retornando à Capital.

E todos concordam que, ao longo de 2020, contaremos com muitos desafios, entre elas, uma nova rodada de eleição para o Senado da Republica.

Pois bem! Não queremos aqui formar opinião a favor ou contra “A” ou “B”, pois essa não é a nossa índole, nem somos filiados em partidos políticos, mas simplesmente, mostramos os fatos e os bastidores da nossa política e, aproveitamos e alertamos que: ser homem público é unir forças e jamais pensar em interesse de partidos ou coligação, mas ver a coletividade que precisa de ações e serviços.

E como nenhum político acredita no que diz, ficando sempre surpreso ao ver que os outros acreditam neles, vamos ao fato inédito que teremos no primeiro semestre de 2020, na realidade teremos dois fatos, o primeiro: eleição suplementar; o segundo: primeira disputa municipal, após a consagração em 2018 de alguns.

Mas hoje, vamos reportar ao fato da eleição suplementar para o Senado da Republica no Estado de Mato Grosso.

Nos primeiros 12 meses, o vice-governador do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Otaviano Olavo Pivetta, apesar de cuidar de projetos estratégicos do governo, andava e muito silencioso e, evitava dar opinião em público, mesmo em área que tenha grande conhecimento, exemplo: área educacional que sofreu desgaste no governo.

Para conhecimento dos nossos internautas, o silêncio de Pivetta incomodava até os próprios aliados da gestão Mauro Mendes. Em outras épocas, Otaviano já teria colocado o dedo na ferida e feito várias manifestações.

Porém neste período, Pivetta, apesar de cuidar de duas áreas específicas e problemáticas do Estado: Infraestrutura e Educação, não perdia oportunidade e circulava em importantes eventos ao lado do governador Mauro Mendes e dos irmãos Jayme e Júlio Campos, estes do Partido Democrata (DEM).

E agora?

Bom….Pelo andar da carruagem a relação entre o político eleito e seu vice, será diferente em relação ao gestor passado (Favaro chegou a renunciar ate mesmo ao cargo).

A pré-candidatura de Otaviano Pivetta não deixará sequelas, e Mendes e seu vice-governador continuará a caminhar juntos.

Foto: Alair Ribeiro

É bom registrar que até o momento a “preferência” de Mauro Mendes é por Carlos Henrique Baqueta Favaro, líder do Partido Social Democrático (PSD), no Estado de Mato Grosso, mas na política, o governador sabe que decisões em processo eleitoral, precisam ser tomadas por grupo partidário.

E assim sendo, o Blog do Valdemir, em uma conversa reservada de Mauro Mendes que chegou para a nossa equipe teria dito: a minha escolha, oficialmente será após o partido decidir.

Vejam a sua declaração no dia 13 de dezembro, na entrevista à Rádio Capital FM, sobre o que achava do seu vice-governador Otaviano Pivetta ser um dos postulantes na disputa suplementar para o Senado da Republica.

Ter Pivetta, como vice é um prazer enorme. Um homem de grande capacidade. Ele é absolutamente sério, honesto, bem intencionado e possui uma história brilhante”, foram as palavras de Mendes, mas o que chama atenção da matéria é a sequência da entrevista. “Eu não tenho dúvida nenhuma que ele seria um grande Senador“, afirmou o governador Mauro Mendes Ferreira no dia 13 de dezembro.

E o que aconteceu de lá pra cá?

Jayme Campos, Senador da Republica pelo Partido Democrata (DEM), não anda empolgado com uma nova candidatura de Carlos Favaro ao Senado. Inclusive Jayme, já comunicou ao núcleo duro do Palácio Paiaguas.

Não é de se estranhar à atitude de Jayme Campos, quem sabe da história. Mas você não sabe? Então vamos lá: em virtudes dos atritos finais dos últimos dias de campanha em 2018, houve uma certa “divergência” entre o DEM e os aliados de Carlos Favaro “por comportamento não muito ético“.

O Blog do Valdemir conversou com os dois caciques da família Campos, o ex-governador Júlio José Campos e Jayme Veríssimo de Campos.

Vamos primeiro com Júlio no qual disse:

Nos municípios que Favaro liderou, Jayme foi quarto ou quinto colocado. Perdeu para o Adilton Sachetti, perdeu para Selma Arruda e assim por diante. E aqui na baixada, onde o Jayme comandou, o Favaro teve uma votação expressiva“, disse Júlio.

Precisa dizer mais nada, este é Pivetta.

Vamos para Jayme Campos que tenta esquecer, mas não tem como, muito recente, em 2018:

Este cenário de incerteza, ainda vai ficar até o final de janeiro. Os nomes que de fato vão disputar será definido na primeira quinzena de fevereiro. Ainda tem muita água para rolar“, enfatizou Jayme.

Precisa dizer? Tá bom, se ele fez dobradinha com Carlos Favaro em 2018, porque não disse que o apoiaria para nova tentativa?

Quer saber se Mauro mudou?

Nós vamos discutir quem eventualmente nós apoiaremos. Pode ter apoio de muita gente do DEM, mas pode ter o meu apoio também“, finalizou Mauro Mendes.

Bom….Até o dia da eleição suplementar no Estado de Mato Grosso, ainda teremos muita agua pra rolar por debaixo da ponte e muitas….ainda muitas reuniões políticas entre os caciques de partido.

Vamos esperar os novos acontecimentos.