PERIGO NAS ESTRADAS: Deputado cobra melhorias para as rodovias da Região Oeste

São 11 indicações reapresentadas e uma nova indicação do Dr. Gimenez solicitando ao Governo do Estado recuperação das vias esburacadas e sinalização, entre elas, para a MT 175 conhecida como “Rodovia da Morte”

Ao lado da violência urbana, que tira cerca de 60 mil vidas por ano, outra tragédia brasileira está no trânsito: anualmente, perdem a vida em ruas e estradas brasileiras cerca de 50 mil pessoas, em colisões ou atropelamentos, causados pelas razões mais diversas, a começar pela imprudência pura e simples de motoristas, motociclistas e pedestres, alimentada pela falta de fiscalização e punição àqueles que desrespeitam diariamente as leis de trânsito; outras causas de acidentes incluem defeitos mecânicos ou manutenção deficiente dos veículos, ou condições climáticas severas.

Mas a infraestrutura viária também tem sua parcela de responsabilidade, segundo estudo divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Algumas informações do estudo, referentes a 2017, confirmam o senso comum: quase 60% dos acidentes com vítimas e 71% das mortes ocorrem em estradas de pista simples e mão dupla; além disso, a proporção dos acidentes ocorridos em curvas (22,3%) é bem maior que a proporção delas no traçado das rodovias.

Mas outros dados surpreendem e levam a questionamentos que o próprio estudo ajudará a responder. Por que há mais mortes nos trechos de pavimento considerado “ótimo” (11,2 óbitos a cada 100 acidentes) que naqueles onde o asfalto é “péssimo” (7,7)? Seria apenas porque os motoristas abusam mais quando trafegam nos chamados “tapetes”, resultado em acidentes a velocidades maiores e, portanto, mais letais? A resposta, segundo a CNT, não é tão simples.

E devido ao alto índice de acidentes nas rodovias da Região Oeste do Estado de Mato Grosso, o deputado estadual Luiz Amilton Gimenes, o “Dr. Gimenez”, do Partido Verde (PV) cobrou, durante a sessão parlamentar, investimentos do governo do estado. Ele reapresentou 12 indicações que cobram, prioritariamente, recuperação e sinalização de estradas que estão em péssimas condições.

Não temos mais a justificativa do decreto de calamidade financeira, portanto, peço sensibilidade ao governador e ao secretário de Infraestrutura para que olhem para a nossa região onde este governo teve excelente votação e onde a população aguarda respostas para os problemas“, afirmou.

Já existe uma ação do Ministério Público Estadual (MPE) exigindo da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) que faça melhorias na MT-175, conhecida como “Rodovia da Morte”, que corta vários municípios e vai até a BR-174, no entroncamento do Cacho. No final do ano passado, um jovem de 24 anos morreu no trecho entre Mirassol D’Oeste e São José dos Quatro Marcos.

Essas obras são de extrema importância porque a estrada está em péssimas condições de trafegabilidade, com muitos buracos, não tem acostamento, o mato está invadindo a pista e a sinalização é bastante precária, tudo isso vem resultando quase que semanalmente em acidentes, muitos deles fatais“, lamentou Dr. Gimenez.

Entre as indicações, também estão pedidos de recuperação para a MT-339 de Glória D’Oeste até a BR-174. Essa rodovia é estratégica porque beneficia 11 municípios, entre eles, Quatro Marcos, Mirassol, Araputanga, Indiavaí, Figueirópolis D’Oeste e Jauru. Além disso, facilita o acesso de Curvelândia, Rio Branco, Salto do Céu, Reserva do Cabaçal e Lambari D’Oeste, à região médio-norte.

Outra demanda urgente é para pavimentação asfáltica de um trecho de 5,6 km da MT-250, no município de Mirassol D’Oeste, que inclui trechos da rodovia 175 em Curvelândia e da MT-475 de Aparecida Bela. Essa melhoria, segundo o deputado, vai favorecer o acesso dos trabalhadores da usina de álcool e do frigorífico, incentivando o desenvolvimento econômico regional.

Recebemos muitas cobranças para a MT-339, entre Quatro Marcos e Glória D’Oeste, que nunca saiu do papel, e é um trecho perigoso. É importante destacar que as estradas são um meio de acesso da população e de entrada e saída de produtos, somos hoje um polo de produção na agricultura familiar e temos o maior rebanho bovino do Estado. Além disso, os investimentos vão dar mais segurança a milhares de estudantes que transitam entre Cáceres, Mirassol, Quatro Marcos e Araputanga“.

Para a MT-248, a demanda é para a construção de uma pista de caminhada entre o auto posto da cidade até a ponte sobre o Rio Brigadeiro, em Figueirópolis D’Oeste, que conforme o vereador Anísio Peres, vai beneficiar diretamente a população.

É um projeto importante que visa estimular a prática de exercícios e ainda dar mais segurança aos trabalhadores do município que fazem uso da rodovia diariamente“.

Também são cobrados serviços de recuperação, com posterior sinalização da MT-170, entre o entroncamento com a BR-174, onde fica o Distrito do Caramujo/Cáceres, passando por Curvelândia, Lambari D’Oeste, Rio Branco e Salto do Céu.

Esse é um trecho totalmente esquecido pelas gestões passadas que nunca recebeu manutenção e que se encontra uma lástima, mas que compreende uma região belíssima, um cartão-postal do turismo no berço das águas do oeste mato-grossense com incontáveis belezas naturais, como cachoeiras, grutas, lagoas de águas cristalinas, trilhas e praias de água doce“.

O parlamentar também apresentou uma nova indicação reforçando a necessidade de recuperação e sinalização na MT-175, do entroncamento do Cacho (BR-174), até o município do Jauru. A exigência é dos vereadores Elias Lopes, João Martins Martinez, Edson Domingos da Silva e Ronaldo Jardim dos Santos.

Trafegar em dias chuvosos e à noite é bastante perigoso por estar em péssimas condições e sem nenhuma sinalização“, afirmou Lopes.