R$ 5 milhões com destino indefinido: MPE investiga paradeiro de recursos descontados das folhas de pagamentos dos servidores de Leverger

Mais um escândalo envolvendo as finanças da Prefeitura Municipal de Santo Antônio de Leverger, distante cerca de 36 Km da Capital Cuiabá, assim como a maioria dos vereadores do município, tomou conta da cidade, devido ao fato de que ontem ter sido realizada uma sessão extraordinária, para votar um Projeto de Lei (PL), com a proposta de reparcelar dívida do sistema de aposentadoria dos funcionários de Leverger (Previ-Leverger).

Segundo informações dos vereadores de oposição, toda a movimentação é resultado da denúncia que foi realizada no Ministério Público Estadual (MPE), referente aos descontos realizados na folha salarial dos funcionários, que não estão sendo repassados para a Previ-Leverger.

De acordo com dados da denúncia feita no Ministério Público, o montante já chega aos R$ 1.729.629, ou seja mais de um milhão dos funcionários do município que foi retirado do trabalhador e que até o momento ninguém sabe para onde foi parar.

É muito triste saber que a justiça funciona apenas para os pobres neste país, o prefeito Valdir Castro Filho (Valdirzinho) há muito tempo vêm cometendo irregularidades, quem não se lembra dos descontos dos empréstimos consignados do Banco do Brasil, que são também descontados da folha de pagamento do servidor e não foram repassados para o Banco, um montante que chega na casa de R$ 1 milhão, sem falar do recurso da iluminação pública que também sumiu e foi denunciado, ser for somado só essas três denúncias, cerca de R$ 3 milhões sumiram dos cofres da Prefeitura de Santo Antônio de Leverger e nada é feito, com este montante, qualquer tem condições de virar empresário do ramo da moda de alto luxo e abrir loja no Shopping 3 Américas”, relatou um funcionário que está indignado com a situação do município e pediu para não ser identificado, por medo de represaria.

Se for somada toda dívida chega aos R$ 5 milhões, e como fizemos as denúncias no Ministério Público e na Núcleo de Ações Originárias (NACO), com certeza, alguém já solicitou informações ao executivo, por isso o prefeito precisa do reparcelamento para prestar esclarecimento”, explicou o vereador Adelmar Gálio.

Além do problema de não se ter informações sobre o paradeiro do dinheiro descontado, é referente a mais uma parcelamento de dívida, já que o prefeito Valdirzinho ganhou a fama de mau pagador, que já não paga as parcelas das dívidas anteriores, e que este parcelamento, tem tudo para entrar apenas na fila daqueles que tem para receber.

Como ontem, a maioria dos vereadores mais uma vez seguiram a ordem do prefeito Valdirzinho e aprovaram mais este parcelamento, a base da oposição informou que toda essa ação foi apenas uma manobra para o prefeito ganhar tempo e informar ao Ministério Público, que está resolvendo o caso.

Resta saber se os técnicos do Ministério Público vão engolir mais esta ação do prefeito Valdirzinho juntamente com seus vereadores amestrados.

Confira os vereadores que votaram a favor:

Rômulo Queiro das Neves (PSDB)
Fábio Ribeiro Teixeira (PSB)
Hamilton José (PMDB)
Miguel dos Santos (PSD)
José Manoel Marçal da Costa Filho ( PSD)
Mauro Dias de Amorim (PSB)

Confira os vereadores que votaram contra:

Giseli Ribeiro da Costa Paim (PTB)
Adelmar Genésio Galio (PSDB)
Ugo da Conceição Padilha ( PSD)
Denis Gonçalves Pinheiro ( PSC)

Vereadores da base e o prefeito Valdirzinho foram procurados para falar sobre o assunto, mas até o fechamento da matéria ninguém se prontificou para responder os questionamentos. – (Lauro Nazario)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *