“Racha, divergências no DEM? É “Fake News”. É missa 7°dia encomendada”

O cacique e grande liderança do DEM ao lado de Mauro Mendes, defende que o partido tem de lançar candidato à sucessão do prefeito Emanuel Pinheiro

A disseminação de conteúdos duvidosos tem crescido exponencialmente na Internet e no celular. E, na afirmação do Senador do Partido Democrata (DEM), Jayme Veríssimo de Campos, está havendo são muitas notícias e informações que estão sendo plantadas, em relação a sigla democrática, a respeito da aliança e divergências com o governador Mauro Mendes Ferreira e a possibilidade do chefe do Executivo Estadual deixar o partido.

Jayme Campos, que esteve na manhã desta segunda-feira (18), acompanhando a Prefeita do Município de várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, que foi homenageada pelo Conselho Regional de Economia do Estado de Mato Grosso (Corecon-MT) com a primeira Comenda “Economista Roberto Campos”, e conversou com a reportagem do Blog do Valdemir.

É Fake News. Missa do sétimo dia, vai no padre e encomenda. Estamos preparado para a Eleição de 2020. Se o partido tiver candidato próprio vai“, pontuou Jayme Campos.

Muito bem…, assim sendo, a eleição de 4 de outubro de 2020, não será no quadrado cuiabano, mas ainda assim, está diretamente conectada aos interesses políticos das principais cidades de Mato Grosso.

E o DEM, apesar de ainda não ter nomes indicados para a disputa, a certeza é que já começa a se desenhar no cenário político de Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Rondonópolis, Primavera do Leste, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Alta Floresta e Barra do Garças, que somam 1.115.041 eleitores e dividem com a Capital, Infraestrutura, Transporte, Saúde, Educação, Segurança Pública, entre outros, nos municípios citados a sigla do Partido Democrata estará apoiando seus aliados ou vira se surgir nomes com candidatura própria.

Já que em recente reunião a cúpula do DEM (leia-se Jayme e Mendes), concordaram que existe aliados que precisam ser contemplados.

Tradicionalmente os partidos veem nesta relação uma oportunidade para alinhar os interesses entre as regiões.

E por esse e outros motivos é “A Hora” de sentar e ajustar os nomes. De acordo com o Senador Democrata, Jayme Campos, a sigla está próxima deste momento.

É preciso que a gente tenha prefeitos e vereadores que estejam sintonizados com as ideias e com as políticas do nosso Estado“, disse Jayme.

A verdade é que não podemos esquecer que as articulações para a Eleição de 2020, geram alterações em blocos partidários.

Assim sendo, as alianças na Capital e nos municípios citados acima, se tornará mais intensa, em 2020, devido o risco de racha entre blocos partidários formados na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT), por conta de alianças que estão em curso, que poderão desagradar alguns partidos.

Onde nossos aliados tiverem candidatos mais fortes do que nós, nós vamos fazer esforço para construir ou continuarmos a aliança“, enfatizou Jayme.

O cacique do Partido Democrata disse ainda que para se falar em eleição da Capital, tem que ter uma discussão mais ampla, bem conversada e analisada em todos os seus parâmetros.

Nós teremos que se fazer uma discussão bem ampla. O governador Mauro tem sua tese, e eu também tenho a minha de que em algumas cidades onde haver aliados que nos apoiaram na eleição passada, e que tenham bons nomes, nada impede do nosso partido dar apoio a eles”.

O Senador do Partido Democrata, Jayme Campos que apesar de admitir a dobradinha com o MDB do cacique da sigla e deputado federal Carlos Bezerra em algumas cidades advertiu;

Em Cuiabá e Várzea Grande e outras cidades polo, como é o caso de Rondonópolis e Sinop, vão ser tratados de forma mais zelosa, mais carinhosa, porque são polos importantes. São grandes colégios eleitorais, o partido precisa olhar com carinho as candidaturas do ano que vem”.

Nota da redação

As Eleições de 2020 será um teste decisivo para o rumo político de Mauro Mendes, que poderá consolidar e expandir sua capacidade de captura institucional a partir de uma entrada inédita nas Câmaras Municipais e Prefeituras do interior do estado, em um processo difuso de interiorização capaz de articular novos arranjos políticos.

E para finalizar…a exemplo o que ocorreu nas Eleições de 2018, que foi uma marca inegável, em 2020 repetirá. As “Fake News” vai se espalhar como fogo no mato seco. E haverá muitos tipos de boatos com gradações do nível absurdo.