Senador Davi Alcolumbre chama Júlio Campos de “Nosso General em Mato Grosso”

O Democratas é o partido que largou primeiro e que mais se prepara e se qualifica para sair das urnas em 2020 como um dos três partidos mais fortes da Paraíba”. Disse o Democrata ao Blog do Valdemir, Júlio José de Campos.

Júlio Campos foi questionado pelo Blog do Valdemir, sobre a busca de apoio nas próximas eleições, o cacique não afastou a ideia, mas disse que o foco atual é o fortalecimento interno da legenda.

Eu acho que quem quer ser candidato é igual campeonato de futebol, tem que ganhar independente da tabela. Os Democratas primeiro tem que se fortalecer internamente, com bons nomes, bons quadros, uma boa legenda de vereadores para poder disputar a eleição. Apoios, filiações nós vamos discutir mais na frente”.

Em Mato Grosso, a Executiva Estadual dos Democratas (DEM) já definiu para o dia 11 de março a convenção da sigla, onde também vão ser decididos os nomes do partido para a disputa eleitoral de 2020.

Conforme prazos da Justiça Eleitoral, os partidos têm entre 10 e 12 de março para realizar as convenções. Dia 17 de março é o prazo final para o registro de candidaturas.

Nesta quinta-feira (13), o líder do Senado Federal, o de Democrata do Estado do Amapá (AP), Davi Samuel Alcolumbre esteve reunido com o também companheiro de Senado Jayme Veríssimo de Campos onde foi definido o fechamento do nome de Júlio José de Campos para ser o representante da sigla nas eleições suplementares para o Senado da Republica na vaga deixada por Selma Rosane Santos Arruda, cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (STE).

A parlamentar foi condenada por Abuso de Poder Econômico e Caixa 2 durante a campanha de 2018. Tanto ela como seu primeiro suplente, Gilberto Possamai, foram declarados inelegíveis por 8 anos.

A Corte Eleitoral determinou que o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT) realizasse uma nova eleição para escolher o novo representante do Estado no Senado Federal.

Na reunião com o cacique do Democrata de Mato Grosso, Jayme Campos, para fechar a questão em torno do nome do irmão Júlio Campos, o Senador Davi Alcolumbre chegou de chamar o Júlio Campos de Nosso General em Mato Grosso.

Os irmãos Campos são homens de primeira linha que sempre estiveram com o partido em todas as circunstâncias, nos bons e nos maus momentos. Nosso apoio a eles é incondicional”.

Conforme lembrou o Senador Davi Alcolumbre, Júlio Campos tem muito conhecimento em Brasília, e tem grande chance de prestar novamente um bom serviço para o Estado de Mato Grosso, para o Senado e também para o Brasil, por causa do seu conhecimento enquanto gestor público.

As chances de um grande mandato são grandes e as expectativas quanto aos resultados melhores ainda”.

Jayme Campos disse que o apoio de Davi Alcolumbre à candidatura do irmão Júlio Campos nesta eleição suplementar sinaliza que a Executiva Nacional dos Democratas está unida em torno de uma candidatura própria para o pleito em Mato Grosso, marcado para 26 de abril.

Ele é o presidente do Senado da Republica, e tem grande capacidade de articulação com o presidente Jair Bolsonaro, e com todo o primeiro escalão do Executivo. Dessa forma, pode pressionar o governo a resolver, entre outras questões, o problema desses importantes corredores de escoamento da produção agropecuária e vitais para a população e para a economia mato-grossense”.

O prefeito da cidade de Salvador do Estado da Bahia, Antonio Carlos Magalhães Neto, o “ACM Neto”, também foi um dos que já hipotecou apoio em torno do nome de Júlio Campos na disputa eleitoral deste ano para o Senado da Republica, e já esta decidido que o DEM vai estar trabalhando afinado pela candidatura própria de Júlio Campos, sem perder a possibilidade de coligações nas duas vagas de suplentes existentes.

Os Democratas abriram prazo de inscrição no final do mês de janeiro para que aqueles filiados da sigla que tivessem interesse de disputar a vaga de Senado da Republica no lugar de Selma Arruda do Podemos.

Um dos interessados em entrar na disputa eleitoral era o deputado estadual dos Democratas (DEM), Dilmar Dal’Bosco, e segundo ele, tinha vontade de concorrer ao Senado na eleição suplementar marcada para abril, mas não pretende entrar em uma disputa interna com Júlio Campos, e não tem qualquer restrição em apoiar a sua candidatura.

O prazo termina nesta sexta-feira (14) e, até o momento, apenas Júlio Campos oficializou a pré-candidatura.