Vídeos denunciam: Peixes ainda estão com grande quantidade de ova

O fim do período de defeso da piracema nos Rios do Estado de Mato Grosso, começa gerar insatisfação e questionamentos. A maioria dos pescadores que começou a atividade pesqueira, no Rio Paraguai, nesta semana, constata que muitas espécies, principalmente, pacu, ainda não desovaram.

Várias postagens nas redes sociais, nos últimos dias, denunciaram o que classificaram de “carnificina” ou “peixeficina” nos Rios do Estado, devido a existência de milhões de ovas encontradas nos peixes, capturados pelos pescadores.

Quem foi o irresponsável que liberou a pesca? Já sei. É que o turismo tem mais valor do que tudo não é? Vai acabar o peixe e o turista vai viver de que? indagou o internauta acrescentando que “não podemos ficar de braços cruzados, deixando o nosso maior patrimônio acabar”, afirmou o pescador amador.

Clientes da Pousada Vale Encantado, uma das maiores e mais movimentadas pousadas do Estado, constataram uma grande quantidade de peixes com ova, ou seja, ainda não passaram pelo processo de desova, processo este, em que o peixe ‘despeja’ as ovas no rio para que aconteça a recria.

Pescadores experientes dizem que devido às poucas chuvas deste ano e com os rios em volume baixo, não deu tempo para que acontecesse o fenômeno. Alguns desses pescadores acham que deveriam voltar a abrir a pesca em Março.

O período de defeso ocorria entre novembro e fevereiro. Mas estudos realizados pelas instituições que compõem o Cepesca, em atendimento à Notificação Recomendatória do Ministério Público Estadual (MPE) apontaram a necessidade de mudança em razão do comportamento reprodutivo dos peixes.

Considerando o ciclo natural de reprodução dos peixes migratórios, foi estabelecido o período de defeso, que tem por objetivo possibilitar a renovação dos estoques pesqueiros para os anos seguintes.

A mudança na data realizada por Mato Grosso a partir do ano passado se embasou em um monitoramento reprodutivo dos peixes realizado pelo Cepesca, que mostrou que cerca de 75% dos peixes dos Rios do Estado iniciam sua fase de ovulação em outubro; e em média 40% terminam esse período em janeiro.